VÍDEO: corpo de vítima da Covid-19 é embalado em saco plástico e deixado ao lado de pacientes em UTI no DF | Região Federalista

0
5

A imagem de um corpo embrulhado em um saco preto e recluso por fita crepe, no Hospital de Regional de Santa Maria, no Região Federalista, chamou a atenção nesta terça-feira (6). Um vídeo, feito por uma funcionária do hospital mostra o corpo em um leito, na unidade de terapia intensiva (UTI), ao lado de outros pacientes internados com a doença (veja vídeo supra).

Segundo as orientações do Ministério da Saúde, o protocolo correto para embalar pacientes mortos por Covid-19 determina o uso de um invólucro específico para óbito, borrifado com hipoclorito de sódio. O mau acondicionamento do morto pode contaminar profissionais que vão manipular o corpo.

  • Corpos são armazenados fora da câmara fria em hospital público do DF
  • VÍDEOS: com hospitais cheios no DF, corpos de vítimas da Covid-19 são deixados no pavimento e em corredores

O Hospital de Santa Maria é dirigido pelo Instituto de Gestão Estratégica (Iges-DF). O órgão informou que as imagens são do primeiro andejar da unidade, na lado reservada para casos de Covid-19, que está sob zelo de uma empresa terceirizada, a Associação Saúde em Movimento (ASM) – contratada pela Secretaria de Saúde.

Em nota, a empresa afirmou que indumentária foi um “evento pontual, de nequice de notícia da equipe operacional“. As imagens do corpo embalado em saco plástico são da na noite de segunda-feira (5).

“Esclarecemos que todos os materiais e insumos necessários para prestação de assistência aos pacientes são disponibilizados em todas as unidades vinculadas à instituição, muito uma vez que para levante procedimento. Deixamos evidente que, estão sendo tomadas as medidas cabíveis quanto ao incidente”, diz trecho da nota.

Corpo de vítima da Covid-19 é embalado em saco plástico e deixado ao lado de pacientes em UTI no DF — Foto: TV Orbe/Reprodução

Apesar do incidente, o Iges-DF informou que conta com 254 invólucros para morto tamanho infantil, 295 adulto e 523 juvenil em estoque no HRSM para atender a demanda administrada pelo hospital. “Outrossim, todas as medidas para armazenamento de cadáveres são feitas de congraçamento com os protocolos”.

De congraçamento com a empresa, “até o presente momento, nunca houve eventos adversos desta natureza ou que tenham inter-relação com o manejo do corpo pós-morte”.

De congraçamento com o boletim mais recente da Secretaria de Saúde, o totalidade de óbitos por Covid-19 na capital chega a 6.449, e os infectados somam 352.067. Na noite de terça-feira, foram registradas 83 novas mortes.

Na manhã desta quarta-feira (7), a rede pública de saúde do Região Federalista estava com 98,02% dos leitos de UTI ocupados e 341 pacientes aguardavam na lista de espera. Desses, 243 eram pacientes com Covid-19.

No dia 9 de março, o governador Ibaneis Rocha decretou estado de calamidade pública na saúde do DF. A medida vale “enquanto perdurar os efeitos da pandemia do novo coronavírus”.

Também no mês de março, o GDF começou a construção de três novos hospitais de campanha na capital. A expectativa é que a construção das unidades esteja concluída até o dia 14 de abril.

Os hospitais de campanha serão construídos nos seguintes locais:

  • Projecto Pilono: dentro do Autódromo
  • Gama: no Multíplice Esportivo
  • Ceilândia: na Escola Parque Anísio Teixeira

Nesta terça-feira, o Ministério Público do Região Federalista fez uma vistoria nos hospitais de campanha, e concluiu que o transcurso das obras está de congraçamento com a data estipulada.

Cada um dos novos hospitais terá 100 leitos de UTI para pacientes de Covid-19, somando mais 300 leitos para a capital.

Leia outras notícias da região no G1 DF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui