‘Venezuela foi pioneira das criptomoedas’, diz Nicolás Maduro

0
79
Links Patrocinados

O presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou na sexta-feira (18) que seu país foi o pioneiro em incluir criptomoedas porquê meio de pagamento desde 2018. A enunciação foi dada em uma entrevista para a Bloomberg.

O presidente venezuelano assegurou que não foi necessário legalizar qualquer novidade lei no país para permitir aos cidadãos incluir as criptomoedas porquê meio de pagamento, uma vez que a troca de moedas fiduciárias por digitais já é permitida há mais de três anos.

“O Bitcoin foi recebido com força na Venezuela. Somos o país pioneiro do mundo em receber o Bitcoin nas operações comerciais e econômicos do país desde 2018, ou seja, há três anos.”

As criptomoedas podem circunvalar livremente na Venezuela

Segundo Marudo, as criptomoedas podem circunvalar livremente na Venezuela e qualquer pessoa pode trocar qualquer moeda fiduciária em sua posse por elas, em qualquer impedimento por secção do estado.

Outrossim, ele enfatizou que a novidade opção oferecida pela exchange venezuelana Petro App,que permite aos usuários trocarem a Petro por Bitcoin. Esta selecção abre uma janela novidade para a adoção real de criptomoedas descentralizadas.

“Todas as criptomoedas podem circunvalar na Venezuela e você pode as intercalar tranquilamente com moedas fiduciárias. Na Venezuela é verosímil ter euros, dólares, yuans, rublos russos ou bolívares para comprar qualquer criptomoeda. É verosímil ter Petros e trocá-los por dólares ou ter Petros e trocá-los por Bitcoin.”

Venezuela impulsionou criptomoedas para superar sanções econômicas dos Estados Unidos

Maduro indicou que a Venezuela precisou impulsionar a adoção de criptomoedas para superar as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos, as quais, assegurou, causaram muitos estragos na economia venezuelana.

Da mesma forma, ele afirmou que espera que o bolívar – moeda solene do país – volte a ter a força e preponderância que tinha na “vida econômica e mercantil o país” se, no porvir, as sanções americanas terminarem. Tudo isso sem deixar de lado o uso das criptomoedas, que geraram valor para a economia venezuelana.

Petro abriu janela para o negócio pátrio e internacional da Venezuela

Maduro afirmou que a raiz das sanções não só impulsionou o uso de criptomoedas porquê a geração de uma própria – o Petro – para ampliar a janela mercantil com o resto do mundo que havia sido fechada pelos Estados Unidos.

“A Venezuela criou uma criptomoeda, o Petro, e criou um sistema de funcionamento de criptomoedas mundiais, que permitiu que muitas pessoas façam negócio pátrio e internacional, além de penetrar uma janela para os consumidores do país.”

Outrossim, disse que outra medida econômica que o governo precisou tomar foi permitir o uso do dólar para o intercâmbio mercantil do pais, um pouco que gerou resultados positivos.

Sem o embargo, vale a pena ressaltar que durante muitos anos o governo foi contra a dolarização do país, chamando a moeda americana de imperialista. Outrossim, o presidente sempre criticou o debate sobre a verosímil dolarização do país, chamando-a de inconstitucional.

Embora as criptomoedas tenham sido condenadas em muitos países não só da América Latina porquê do mundo, a Venezuela e El Salvador parecem ser um exemplo de porquê os meios descentralizados poder ser usados para minimizar os efeitos negativos da concentração existente no mundo das finanças internacionais.

O cláusula ‘Venezuela foi pioneira das criptomoedas’, diz Nicolás Maduro foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui