Tron é questionada por propaganda suspeita de celebridades – Money Times

0
86
Tron e seu fundador Justin Sun estão novamente em modo defensivo pois negam ter qualquer conhecimento sobre quem estava por trás de uma recente campanha de celebridades no Twitter que fizeram com que o preço do token TRX disparasse 30% em uma questão de dias (Imagem: Facebook/TRON Foudation)

TRON é uma plataforma blockchain impulsionada por TRX, seu token nativo.

Possui uma capitalização de mercado de US$ 3,8 bilhões e, neste momento, é o 24º maior criptoativo na tábua de capitalização de mercado da Brave New Coin (BNC).

O projeto sempre dividiu opiniões na comunidade de investimentos cripto.

Seus defensores o consideram porquê um reptante legítimo no setor de plataformas blockchain, com o potencial de combalir o sistema tradicional de distribuição de mídias digitais.

Porém, os críticos chamam de “vaporware” — termo oferecido a um pouco que foi promovido, mas ainda não apresentado nem concluído — e que criou uma valoração inflada por meio de um marketing invasivo.

Celebridades mencionam Tron

Em fevereiro, foi noticiado que um “parceiro da Tron” queria remunerar celebridades para promover o projeto nas redes sociais.

Celebridades porquê Lindsay Lohan, Ne-Yo, Amanda Cerny e Lil Yatchy participaram da campanha ao tuitar coisas boas sobre o blockchain Tron ou seu token nativo TRX.

A campanha foi branco de controvérsias, pois grande segmento do teor promocional foi publicado sem uma informação adequada das celebridades e dos influenciadores envolvidos.

A Percentagem Federalista de Transacção dos EUA (FTC) publicou orientações para a promoção de produtos por influenciadores nas redes sociais.

O guia argumenta: “se você promove um resultado pelas redes sociais, sua mensagem de suporte deve deixar explícito quando você tem uma relação (“conexão material”) com a marca. A FTC afirma que a responsabilidade em fornecer essas informações de propaganda é dos influenciadores.

As promoções de celebridades foram desmascaradas quando o popular youtuber Marques Brownlee revelou que a equipe por trás da campanha também havia pedido que ele mencionasse Tron no Twitter, mas que ele “não precisava fazer com que parecesse um tuíte patrocinado”.

Em seu vídeo “Explicando Dogecoin”, Browlee compartilha capturas de tela de interações por e-mail entre ele e a equipe por trás da campanha de promoção da Tron por celebridades/influenciadores:

Marques Brownlee Tron YouTube
(Imagem: YouTube/Marques Brownlee)

Os e-mails vieram na forma de alguém que afirma ser parceiro da Tron, “um dos maiores projetos cripto do setor, com o blockchain mais rápido que geralmente é chamado de ‘aniquilador’ da Ethereum.

O e-mail pede que Brownlee tuite “francamente” sobre o que ele acha sobre a Tron. O promotor afirma que o youtuber será compensado por sua “opinião honesta”.

Os e-mails incluem alguns exemplos de tuítes e Lindsay Lohan, Neyo e Lil Yatchy tuitando sobre Tron a seus seguidores sem anunciarem que se tratava de uma promoção.

Uma notoriedade que participou da campanha foi Amanda Cerny, que evidenciou ter uma parceria com a Tron ao mencionar as baixas taxas de gás da rede com a hashtag #TronParner.

Lindsay Lohan e Neyo publicaram seus tuítes em 12 de fevereiro, assim porquê Cerny. Na mesma semana, o preço do TRX subiu 30%.

Tron Price Change
O preço do token TRX disparou posteriormente a campanha de tuítes por celebridades (Imagem: CoinGecko)

Justin Sun, fundador da Tron, negou que a Tron Foundation — organização sem fins lucrativos que supervisiona o projeto Tron — está por trás da campanha.

Porém, Sun sempre usou celebridades para promover a Tron.

A versão chinesa do site da Tron ainda possui fotos suas com celebridades, porquê Jack Ma (que desapareceu por três meses posteriormente o governo chinês ter interrompido a IPO da Alibaba) e Kobe Bryant (jogador de basquete que faleceu em um acidente de helicóptero em janeiro de 2020).

Justin Sun with Jack Ma and Kobe
(Imagem: Tron)

A Bloomberg entrevistou Sun sobre as consequências da campanha de promoção e ele disse que iria contratar mais celebridades e artistas para posicionar Tron porquê uma moeda “memeática”.

Na mesma entrevista, Sun discutiu uma mudança de paradigma para jovens que tendem a realizar investimentos financeiros e sobre um incremento em estratégias de incremento direcionadas por memes.

Ele se vangloriou da gigante capitalização de mercado da Tron à Bloomberg e afirmou:

Elon Musk não é exclusivamente o CEO de uma empresa, e sim o representante desse tipo de cultura de memes e desse novo tipo de movimento geracional.

No horizonte, esses tipos de tendência direcionada por comunidade vão exigir que CEOs de empresas estejam mais envolvidos com a comunidade, com sua fã-base.

Sun disse que pode se espelhar em Musk, mas que ainda irá desenvolver produtos que capturam os corações e mentes de comunidades, assim porquê a Tesla e SpaceX fizeram.

Em vez disso, o valor do token TRX foi impulsionado por um ciclo de hype incessante, que não demonstra sinais de que vá diminuir.

Ainda veremos se isso será suficiente para sustentar a Tron por muito tempo, mas a crescente vaga de preços de altcoins — criptomoedas alternativas ao bitcoin — novamente impulsionou a Tron em seu atual ciclo de subida: o token TRX subiu 80% desde 1º de janeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui