Toshiba recebe oferta da CVC para fechar negócio de US $ 20 bilhões

0
14

O CEO da Toshiba confirmou o relatório dizendo que a “oferta chegou” e que os executivos da empresa discutirão a oferta em uma reunião do recomendação. (Crédito: Reprodução/Divulgação)

A empresa global de private equity CVC Capital Partners está propondo um pacto para privatizar a Toshiba por meio de uma oferta pública que deve valer mais de US$ 20 bilhões, segundo informou o jornal Nikkei nesta terça-feira (6).

O CEO e presidente da Toshiba, Nobuaki Kurumatani confirmou o relatório de Nikkei, dizendo aos repórteres que a “oferta chegou” e que os executivos da empresa “discutirão [a oferta] em uma reunião do recomendação”, marcada para o final do dia desta quarta-feira (7).

+ Luciano Hang, possuidor da Havan, perde R$ 5 bilhões em um ano, diz Forbes

A CVC está considerando um prêmio de 30% sobre o preço não perturbado das ações do grupo industrial nipónico, o que colocaria o valor do negócio em quase 2,3 trilhões de ienes (US $ 20,8 bilhões) com base no fechamento de terça-feira. A firma de ações irá considerar o recrutamento de outros investidores para participar da obtenção.

A Toshiba em um transmitido na quarta-feira disse que a empresa recebeu uma proposta inicial na terça-feira e que vai “pedir mais esclarecimentos e dar-lhe uma consideração cuidadosa”.

O preço das ações da empresa disparou em Tóquio e nos Estados Unidos com a notícia do verosímil negócio.

O negócio em Tóquio foi temporariamente interrompido nesta quarta-feira em seguida o relatório do Nikkei, mas foi retomado em seguida o transmitido da Toshiba. As ações não foram negociadas com um excesso de ordens de compra a 4.530 ienes, um aumento de 18% em relação ao dia anterior e o limite superior da fita de negociação diária.

Nos Estados Unidos, o ADR da Toshiba subiu quase 20%, para US $ 21,50, pouco antes das 14h00 EDT.

A proposta visa açodar a tomada de decisões em uma empresa que frequentemente bate de frente com investidores ativistas enquanto tenta se restaurar em seguida uma série de escândalos e pesadas perdas nos últimos anos. Isso representa um caso vasqueiro de uma das empresas mais conhecidas do Japão se afastando dos mercados públicos.

A CVC discutirá os termos com a equipe de gestão da Toshiba, que irá considerar se a proposta beneficiaria seus acionistas antes de tomar uma decisão. Kurumatani, o primeiro director nomeado de fora da empresa em 53 anos, atuou porquê vice-presidente do Sumitomo Mitsui Financial Group antes de se tornar presidente da filial japonesa da CVC.

A firma de private equity planeja lançar a oferta pública se conseguir o sinal virente dos reguladores. O Ministério das Finanças precisaria examinar o negócio com antecedência, de pacto com a legislação implementada no ano pretérito que impõe um escrutínio mais rígido sobre o investimento estrangeiro em empresas envolvidas em áreas sensíveis porquê a tecnologia nuclear – uma disposição destinada principalmente à China.

Se o negócio for bem-sucedido, fechará a cortinado para as dramáticas angústias públicas de um titã do Japão corporativo.

O declínio da Toshiba começou há vários anos com fraudes contábeis e bilhões de dólares em perdas em torno de uma subsidiária nuclear dos Estados Unidos, que deixou a empresa em parafuso.

Em 2017, diante da perspectiva de transpor da Bolsa de Valores de Tóquio em seguida dois anos de patrimônio líquido negativo, a Toshiba levantou 600 bilhões de ienes em um aumento de capital que atraiu investidores ativistas.

Nos anos seguintes, a empresa foi criticada por mais problemas de governança, incluindo transações falsas que inflaram o lucro de uma subsidiária, muito porquê entraram em confronto com alguns investidores sobre o uso de capital. Kurumatani recebeu exclusivamente 58% de esteio para sua renomeação na câmara universal de acionistas do ano pretérito.

A Effissimo Capital Management, sediada em Cingapura, principal acionista da Toshiba, apresentou seu próprio conjunto de diretores propostos nessa reunião. A proposta falhou, mas mais tarde veio à tona que uma série de votos recebidos anteriormente foram indevidamente anulados. Effissimo exigiu uma câmara extraordinária de acionistas para convocar uma investigação, que foi aprovada no mês pretérito.

A oferta pública limitaria os conflitos com investidores ativistas, deixando a empresa com um único acionista.

A Toshiba, que se separou e vendeu uma participação majoritária em seu negócio de memória de caixa durante a recuperação, tem estreitado seu foco e encerrado negócios não lucrativos para aumentar seus ganhos.

A estratégia valeu a pena, com o lucro operacional subindo muro de 370% no ano fiscal de 2019, e a empresa fez um tão esperado retorno à primeira seção do TSE leste ano. Parece se concentrar em campos porquê vontade renovável e infraestrutura para impulsionar o propagação porvir.

A CVC, que tem escritórios em 23 países e US $ 117,8 bilhões em ativos sob gestão, também adquiriu recentemente o negócio de cuidados pessoais da Shiseido. Anteriormente, ela estava envolvida na obtenção da gestão da operadora de prisão de restaurantes japonesa Skylark em 2006.

Veja também

+ Curso da Dezena – Veja porquê ingressar na curso que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida gratuito e vai presa
+ Zona Azul do dedo em SP muda dia 16; veja porquê fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Eructar muito pode ser qualquer problema de saúde?
+ Tubarão é conquistado no MA com sobras de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Invenção oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui