‘Tenho orgulho de ser gay’ · Notícias da TV

0
45
Links Patrocinados

Rodrigo Sant’Anna frisou que, enquanto pessoa pública, não pode se manter isento e precisa reafirmar o orgulho de ser LGBTQIA+. “É importante que a gente se posicione para que vá ganhando um espaço de minimamente reverência”, afirmou o humorista em entrevista ao RJ1 neste sábado (17).

Em conversa com o jornalista Fábio Júdice, o ator explicou que o espeque da família é fundamental para que ele possa falar claramente sobre a sua sexualidade. 

“Acho que a gente vive num momento político que determinadas posturas precisam ser assumidas. Eu nasci e tenho orgulho de ser gay. Eu resolvi falar disso uma vez que pessoa pública para mostrar que eu sou feliz assim”, comentou ele, que está casado com Júnior Figueiredo desde 2019.

O tradutor ainda acrescentou que a comédia é fundamental neste momento não só para furar a cabeça das pessoas e combater o preconceito. “Eu fico muito tocado uma vez que o humor é um refresco. A gente precisa de alguma coisa para contrapor isso que a gente está vivendo”, disse.

Ele tirou boa segmento de suas personagens mais famosas, uma vez que a Valéria do Zorra Totalidade (1999-2015), vem da reparo de amigos e familiares. “As mulheres da minha vida foram mais fortes do que os homens e, de certa forma, até mais engraçadas”, pondera.

A avó Adélia, aliás, serviu uma vez que base para a protagonista do Tô de Perdão, prestes a estrear uma novidade temporada no Multishow. ‘Ela veio da Bahia, teve dez filhos, morou em muitas comunidades. É a possibilidade de mostrar a minha gente por mais um ano. Eu sou o Manoel Carlos do subúrbio. Ela é minha Helena”, continuou Sant’Anna.

O artista, no entanto, entregou que não é tão “barulhento” quanto as suas principais criações. “Talvez seja até uma catarse da minha personalidade fazer essas figuras tão estriônicas porque, no fundo, eu gostaria de ser assim. Eu sou tão quietinho”, disparou, aos risos.

Rodrigo ainda lembrou a sua recuperação da Covid-19. “Graças a Deus, não foi tão grave. É um pouco clichê falar, mas a gente sai daquela doença com um olhar renovado. É uma sensação de gratidão”, arrematou o carioca.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui