Tecnologia e investigação histórica encontram crianças sobreviventes do Imolação | Fantástico

0
55
Links Patrocinados

Dia 19 de maio de 1944, idade de Hooghalen, setentrião da Holanda: militares nazistas despachavam judeus holandeses. O direcção: campos de extermínio de Bergen-Belsen e de Auschwitz. Para muitas dessas pessoas, o Campo de Westerbork, na Holanda, era a última paragem antes da morte. Pesquisadores dizem que 90% dos que passavam por lá eram assassinados, inclusive crianças. Famílias se amontoavam, muitas vezes, em vagões feitos para transportar mancheia, sem lugar pra sentar e sem janela. Durante décadas, essas cenas ajudaram a ilustrar documentários sobre o Imolação e o extermínio na 2ª Guerra de milhões de judeus perseguidos pelo ódio dos nazistas, comandados por Adolf Hitler.

Rostos que passaram pela tela sem que o mundo soubesse nem os nomes dessas pessoas. Esses trens transportavam até 3 milénio pessoas por viagem. Embarcavam nele histórias e mais histórias que ficaram no anonimato, mas algumas estão sendo reveladas agora. Historiadores holandeses descobriram alguns dos chamados “filhos do Imolação”.

Um dos pesquisadores trabalhava desde os anos 80 para desenredar mais sobre essas pessoas. Recentemente, ele e um colega tiveram a ajuda fundamental do Instituto Holandês de Imagem e Som, que digitalizou e restaurou o material. Uma produtora de vídeos da Holanda ainda coloriu alguns trechos. Com tudo isso, deu pra ler nas bagagens os nomes e as datas de promanação de algumas pessoas. Depois de nove meses de investigação, tiveram a certeza de quem eram aquele menino e aquela bebê de pescoço olhando pela janela do trem em uma das fotos. Quem “eram”, não – quem são eles!

O Fantástico conversou com “aquelas” crianças: o Marc, hoje com 81 anos; e a Stella, com 78. São irmãos. Ele mora perto de Amsterdã; ela, em Novidade York. A Stella tinha só um ano naquele dia. Marc tinha três. Veja a reportagem no vídeo supra.

Ouça aos podcasts do Fantástico:

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui