Tecnologia acelera recuperação de pacientes com apneia do sono | GRUPO HGC SAÚDE

0
15

A apneia do sono é um distúrbio respiratório que acontece quando o paciente está dormindo, ela é caracterizada por pausas na respiração ou períodos de subtracção do fluxo da respiração. Tem duração mínima de dez segundos, mas não tem um tempo supremo, podendo em alguns casos prolongar por mais de um minuto.

Algumas têm origem no próprio sistema nervoso meão, relacionadas a problemas no “drive” respiratório, são chamadas de apneias centrais. Entretanto, a grande maioria é causada por um estreitamento temporário da via aérea subida, em peculiar a faringe.

Essa mudança anatômica reduz o espaço para a passagem do ar durante a inspiração e pode resultar na redução da taxa de oxigênio no sangue durante o sono ou em ativações cerebrais ou despertares.

“A apneia obstrutiva pode ter várias causas, mas o relaxamento muscular que ocorre durante o sono é fundamental para a apneia do sono”, diz o médico otorrinolaringologista Tiago Vasconcelos (CRM 51.664 MG RQE Nº: 22705).

O principal sintoma da apneia é o ronco, mas algumas pessoas também podem também apresentar queixas porquê cansaço ao contratar, sono excessivo durante o dia, vários despertares à noite, falta de memória e concentração, baixa performance no trabalho e irritabilidade.

A apneia do sono não tratada pode aumentar os riscos de doenças cardiovasculares (infarto e acidente vascular cerebral), aumento da pressão arterial, arritmia cardíaca, piora do controle das taxas de glicose, mudança do metabolismo e comprometimento da performance no trabalho e da qualidade de vida. O aumento da sonolência diurna pode aumentar os riscos associados a acidentes de trabalho.

Tiago Vasconcelos, médico otorrinolaringologista “Por interferir na qualidade do sono, a apneia do sono pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e na performance dos indivíduos. ” — Foto: Divulgação/ Tiago Vasconcelos

“Por interferir na qualidade do sono, a apneia do sono pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e na performance dos indivíduos. Alguns indivíduos podem apresentar uma baixa percepção destes sintomas. Tomam consciência em seguida a instituição do tratamento. O risco de morte súbita também é um risco na apneia do sono não tratada”, conta Claudia Galvão, otorrinolaringologista e médica do sono (CRM 38988 | RQE: 14272 e 42028.

O principal tratamento é a terapia de pressão positiva (CPAP), aqueles aparelhos que as pessoas usam na hora de dormir. Porém alguns pacientes têm indicação cirúrgica e nesses casos, o Coblation é um grande coligado. Essa tecnologia é minimamente invasiva e utiliza baixa temperatura para efetiva dissecção e retirada de tecidos.

Ela emprega radiofrequência por plasma, preservando melhor a espaço dos efeitos térmicos do que equipamentos tradicionais. O médico utiliza sondas especiais, que variam de pacto com tipo de procedimento e em poucos minutos, está concluído.

O procedimento em si, pode ou não, ser feito em conjunto cirúrgico, com anestesia lugar ou universal, dependendo da complicação do caso, porém, o tempo de recuperação é muito mais rápido que os métodos tradicionais em qualquer uma das situações.

As complicações mais comuns são um pequeno sangramento e formação de crostas dentro do nariz. Em média, duas a três semanas o paciente já não costuma apresentar mais nenhum dos dois inconvenientes.

“Alguns procedimentos podem ser realizados no próprio consultório, com anestesia lugar. Nesses casos, a principal vantagem é não necessitar de internação hospitalar, ainda mais em tempos de pandemia. Isso diminui custos totais, reduz risco de infecção e consome menos tempo. Ou por outra, é eficiente, seguro e relativamente indolor. Aliás, muito menos incômodo que a cirurgia realizada de forma tradicional com cautério”, explica Tiago Vasconcelos.

“A tecnologia Coblation, em alguns estudos, foi associada a redução do sangramento durante a cirurgia, melhor processo cicatricial e redução da dor no pós-operatório. Na cirurgia nasal, evita a formação de crostas que acontece com métodos tradicionais. A redução da dor no pós-operatório foi evidenciada principalmente nas cirurgias faríngeas”, explica Claudia Galvão.

A Opiminas é uma empresa que oferece produtos de qualidade e de última geração, nacionais e importados na espaço de Otorrinolaringologia, Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Crânio-maxilo. Ela fica localizada na avenida Getúlio Vargas, 668, Loja 19, Savassi, em Belo Horizonte. O telefone de contato é o (31)3166-6003 (31)2537-6164 e (31)99746-4769.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui