[Review] LG Tone Free FN6: som mediano e a promessa de tecnologia autolimpante

0
37

É seguro manifestar que 2020 continuou o legado de 2019 porquê o ano dos fones de ouvido sem fio. Foram dezenas de modelos, de inúmeras fabricantes, e muito provavelmente isso deve se repetir agora em 2021.

Mas com tantas opções no mercado, as empresas começam a apresentar recursos que realmente podem ser um diferencial entre si. O Tone Free FN6 é um deles: lançado em alguns países em meados de 2020, os fones true wireless foram um dos últimos produtos que a LG trouxe ao Brasil no final do ano pretérito. Ele tem as características básicas que você encontra na maioria dos fones da categoria, porém traz uma função autolimpante que, segundo a marca, elimina 99,9% das bactérias que podem se reunir no secundário.

Uma vez que todo secundário que traga uma novidade assim, o Tone Free FN6 não é barato: o preço sugerido é de R$ 1.200, colocando os fones da LG para escadeirar de frente com os AirPods de primeira e segunda geração, da Apple. Eu venho testando o aparelho desde o início de dezembro, e nos parágrafos a seguir narrativa as minhas impressões.

LG Tone Free FN6

O que é
Um manancial true wireless com um estojo de carregamento autolimpante, prometendo varar 99,9% das bactérias.

Preço
Sugerido: R$ 1.200. No varejo: em média, R$ 999.

Gostei
Muito confortável de usar por várias horas seguidas; estojo de recarga rápida; conectividade e pareamento quase que instantâneos.

Não gostei
O som não é dos melhores, com graves abafados e muito rumor; autonomia de bateria poderia ser maior; tecnologia autolimpante é um diferencial, mas não mostrou a que veio.

Design

Disponível nas cores preto e branco, o Tone Free FN6 segue o padrão de fones de ouvido sem fio que começou lá detrás com os primeiros AirPods. E apesar de isso deixar os fones praticamente todos iguais, é difícil errar quando se aposta em um design mundialmente sabido e muito aceito pelo público. No caso dos fones da LG, eles se aproximam mais dos AirPods Pro, pois as “perninhas” são menores e garantem mais discrição durante o uso.

Uma vez que nem todo mundo tem exatamente o mesmo tamanho de ouvido, a LG inclui três pares diferentes de ponteiras de silicone para que uma delas deixe os fones o mais confortável provável. De veste, houve dias em que passei tapume de três horas seguidas usando o Tone Free FN6, e em momento qualquer senti que eles estavam lá. Também não notei nenhuma pressão excessiva, já que fones intra-auriculares (que ficam para dentro do ouvido) tendem a me ocasionar esse tipo de desconforto — o que, reforçando, é um tanto totalmente individual.

Review Fone LG Tone Free FN6. Imagem: Caio Carvalho (Gizmodo Brasil)

Os fones também contam com controles por toque capacitivo, que ficam na segmento superior de cada peça. Você pode usá-los para pausar/continuar a reprodução de músicas, ajustar o volume, responder/negar chamadas telefônicas e para ativar ou desligar o modo de som envolvente. Essas opções podem ser personalizadas por um aplicativo da LG para Android e iOS.

Acredito que esses controles poderiam ser um pouco mais consistentes, pois são bastante sensíveis e podem ser ativados mesmo se o seu dedo estiver longe. Foram várias as vezes que eu ia ajustar um dos fones no meu ouvido e, mesmo sem recostar meu dedo no secundário, ele pausava ou voltara para a tira anterior. Outrossim, a resposta não é tão instantânea; ao pausar uma música, precisei esperar meio segundo entre o toque no fone e o áudio debutar a transpor.

Vale reportar que o Tone Free FN6 tem certificação IPX4, o que garante resistência pingos de chuva e suor. Portanto, entrar no mar ou piscina, nem pensar.

A case

O grande apelo do LG Tone Free FN6 é o estojo de carregamento com a tecnologia autolimpante UV Nano que, segundo a marca, promete varar 99,9% das bactérias. Logo ao terebrar o case, você verá luzes LED em cada juntura, iluminando a segmento interna do secundário. Mas a luz ultravioleta responsável pela limpeza em si é invisível e só funciona com o case fechado. Para completar um ciclo de saneamento, é preciso deixá-los lá dentro por dez minutos e com o cabo USB-C conectado à tomada.

Review Fone LG Tone Free FN6. Imagem: Caio Carvalho (Gizmodo Brasil)

O UV Nano é um diferencial interessante porque, no momento, o Tone Free FN6 é o único fone sem fio com essa função de se autolimpar. A LG não afirma se os fones são capazes de matar vírus, o que poderia ser ainda mais útil em tempos de Covid-19. Todavia, eu não estranharia se as próximas versões do Tone Free FN6, ou dos fones de outras fabricantes, adotarem esse noção. No mais, é ótimo saber que na próxima vez que eu terebrar a case, os fones estarão um pouco mais limpos do que de rotina. Se você já usa um fone true wireless, com certeza sabe do que estou falando quando digo que não importa o quão limpo seja o seu ouvido: os fones costumam reunir muita sujeita facilmente. Nos da LG, isso é menos pior.

Bateria e conectividade

De harmonia com a LG, o Tone Free FN6 oferece seis horas de bateria. E foi isso  (talvez um pouco menos) que ele durou. Com o estojo de recarga, você ganha 12 horas de autonomia extra.

Em condições normais, acho difícil alguém permanecer tanto tempo com os fones sem colocá-los no case ao menos uma vez. Por isso, deve ser mais do que suficiente para o uso quotidiano. Mesmo assim, ter pouco menos de seis horas de autonomia ainda é inferior da média da maioria dos fones totalmente sem fio, que geralmente duram em média oito horas contínuas.

Felizmente, a recarga é realmente ultrarrápida. Uma fardo de exclusivamente cinco minutos garante uma hora de bateria. Nos meus testes, para ir do zero ao 100%, os fones precisaram de exclusivamente 38 minutos.

Review Fone LG Tone Free FN6. Imagem: Caio Carvalho (Gizmodo Brasil)

O pareamento com dispositivos também é mais rápido do que a maioria dos fones da categoria. Usando Bluetooth 5.0, que por si só já é bastante veloz, eu levei tapume de 14 segundos para fazer a primeira conexão com o meu celular. Depois disso, era só eu terebrar o case e colocar os fones no meu ouvido para o smartphone reconhecê-los involuntariamente. Ao longo desses 30 dias, não passei por nenhum problema de lentidão ou queda de conexão.

A LG ainda disponibiliza o aplicativo TONE Free para personalizar os comandos capacitivos em cada fone, controlar volume, selecionar modos de som, customizar equalizadores e localizar o secundário. É pelo app que você também pode ativar e atribuir o modo de som envolvente a um dos fones. E tem ainda uma função para leitura de notificações que chegam no smartphone, sem que você precise vincular a tela do aparelho.

Qualidade de som

Definitivamente, o LG Tone Free não é o fone de ouvido para quem deseja a melhor qualidade de som. Não que ele seja ruim: é uma performance mediana. Mas para um aparelho de R$ 1.200, eu esperava mais.

Para debutar, eu ouvi This story is dedicated to all those cyberpunks who fight against injustice and corruption every day of their lives! (DJ Mix) – sim, é esse o nome -, novo álbum da Grimes (melhor dizendo: de sua personagem, Lizzy Wizzy) para o jogo Cyberpunk 2077. As músicas misturam pop eletrônico com batidas de hip-hop, indie-pop e outros gêneros. O som não sai tão limpo ou cristalino quanto eu pensava, e os graves, que costumam se sobressair em todas as faixas do disco, não se destacaram nos fones da LG.

No rock de Death Magnetic, do Metallica, e do pop rock do After Laughter, do Paramore, os graves também ficaram em segundo projecto. Eu notei, inclusive, um perceptível rumor em algumas faixas que não sumiam mesmo ao escolher um preset no app da LG ou elaborar um equalizador manualmente. Aliás, os ajustes não são tão eficazes na hora de aprimorar a intensidade do adio, em peculiar dos graves.

A sensação que eu tive é que o Tone Free FN6 entrega uma qualidade mais satisfatória em faixas instrumentais e sem muitos elementos. Nos álbuns do Explosions in the Sky e do musicista Ólafur Arnalds, que não possuem vocais, o som saiu muito mais limpo do que na maioria dos demais discos cantados que eu ouvi.

O LG Tone Free não tem uma função específica de cancelamento de rumor, mas sim um recurso que exclusivamente diminui o estrondo extrínseco. Mesmo no supremo, a opção não elimina por completo o som envolvente – tudo o que ela faz é deixar os ruídos mais abafados. Eu tenho para mim que isso está mais relacionado ao juntura do dos fones no ouvido do que uma funcionalidade dedicada.

Vale a pena?

Por R$ 1.200, o LG Tone Free FN6 cumpre menos do que promete. O gadget se encaixaria muito mais na categoria de fones intermediários do que premium, uma vez que qualidade de som não é o poderoso do resultado. Uma vez que eu disse, não é que o áudio seja ruim – só é bastante essencial e não justifica o valor cobrado. Ele seria muito melhor se tivesse graves mais potentes e sem tanto rumor, principalmente em músicas com diversos instrumentos e vozes tocando simultaneamente.

Review Fone LG Tone Free FN6. Imagem: Caio Carvalho (Gizmodo Brasil)

O Tone Free pode até ter um design ergonômico, além de uma conectividade bastante veloz, graças ao Bluetooth 5.0. Mas acredito que existem opções mais vantajosas no mercado. A risca Samsung Galaxy Buds possui fones com preço entre R$ 600 e R$ 900, e todos possuem som superior ao resultado da LG. O Sony WF-1000XM3 sai pelo mesmo preço, mas é ainda melhor. E de quebra você ganha a função de cancelamento ativo de rumor, que neste caso realmente funciona.

Daí temos o estojo autolimpante que, nas palavras da LG, elimina 99,9% de bactérias que podem se reunir nas ponteiras dos fones. Sem incerteza, é um diferencial, mas sinto que faltou mais transparência por segmento da marca. Que tipo de estudos foram feitos? E onde os consumidores podem acessá-los? Ao que tudo indica, essa é uma tecnologia que ainda está nos primeiros estágios, e talvez levaremos um bom tempo até que, de veste, ela traga qualquer favor real para os usuários.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui