Posteriormente perder o rebento para covid-19, mãe se emociona ao tomar segunda ração

0
41
Links Patrocinados

Gabriel Ronan/ Estado de Minas

postado em 15/07/2021 22:15

Gilcineia Fernandes, de 61 anos, chorou a morte do rebento enquanto aguardava vacinação em BH – (crédito: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

Faz quatro meses que Gilcineia Fernandes perdeu o rebento para a covid-19. Portador de diabetes, ele perdeu a vida aos 41 anos. Nesta quinta-feira (15/7), a idosa de 61 anos foi uma das pessoas imunizadas com a segunda ração da vacina da AstraZeneca (Oxford/Fiocruz) em Belo Horizonte.

“É um refrigério muito grande. A dor que eu carrego é diária e muito pesada. Eu não posso lembrar dele que me emociono”, disse, com os olhos marejados, a moradora do Bairro Floresta, na Região Leste da capital.

Gilcineia compareceu logo cedo ao Núcleo de Saúde Marco Antônio Menezes, na Avenida Petrolina, Bairro Horto Florestal, na mesma região da cidade. A fileira na unidade era formada por aproximadamente 20 pessoas por volta das 9h.

“Foi até rápido. Tomei a primeira ração cá e a segunda também”, afirma a idosa, que seria a próxima imunizada quando a reportagem esteve no sítio.

O gestor de empresas Luiz Antônio Lobo, também de 61, estava mais no término da fileira. Apesar disso, ele não via a hora de se livrar da virose de vez.

“É um momento bastante aguardado, sem dúvidas. Agora, depois da vacinação, é manter os cuidados para não facilitar”, afirmou. Ele, felizmente, não perdeu parentes próximos para a doença.

O cronograma da Secretaria Municipal de Saúde prevê, ainda nesta semana, a imunização das pessoas de 41 anos com a primeira ração nesta sexta (16/7); enquanto os idosos de 60 completam o esquema vacinal neste sábado (17/7).

De segunda a sexta, a prefeitura abre os pontos fixos e extras às 7h30, com expediente até 16h30. Já os drive-thrus funcionam das 8h às 16h30.

Já aos sábados, os serviços abrem no mesmo horário, mas encerram o trabalho às 14h. No site da PBH, o cidadão consulta os locais de vacinação.

Porquê sempre, o morador precisa levar a carteira de identidade, CPF e o comprovante de endereço. Só pode se imunizar quem não recebeu outra vacina nos últimos 14 dias e não teve sintomas da COVID-19 nos últimos 30.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui