Por que o público julga tanto o relacionamento dos famosos?

0
55
Links Patrocinados

Em era de cancelamentos, muitas pessoas se acham no recta de dar opiniões sobre o relacionamento das celebridades, sejam os fãs ou unicamente um seguidor nas redes sociais. Esta semana, o matéria do divórcio de Whindersson Nunes e Luisa Sonza voltou à tona novamente, um ano em seguida a separação, e a cantora desabafou sobre o quanto se sentiu julgada nesse período. Mas, por fim, por que o público interfere tanto nas relações pessoais dos artistas?

A pilastra conversou com o psicanalista Junior Silva, que explicou esse comportamento. “Todo fã é paraninfo de consórcio do seu artista! Se a gente definisse a função de um paraninfo de consórcio, seria: cuidar, ajudar e ser guardião daquela união. Quando um artista se vivenda, seu fã torna-se seu paraninfo porque torce, gosta e quer ver o par feliz. Com isso, ele se sente no recta de opinar, falar e até mesmo julgar”, disse ele.

0

Mas o que os fãs de indumentária sabem sobre o par é unicamente uma fração fornecida por outros ou a visão de uma das partes. “Só o par é quem vive a situação. Mas o lado escolhido pelo público vai depender de com quem se tem mais afinidade. Temos visto nas redes o caso do Whindersson Nunes e Luisa Sonza, e os fãs ainda estão falando da separação e criando teorias”, explicou ele.

Apego pode ser prejudicial 

“Outro exemplo muito marcante e midiático foi quando o William Bonner e a Fátima Bernardes se separaram, o que gerou uma comoção pelo Brasil todo. Os ‘fãs padrinhos’ não aceitaram a separação e até hoje tem pessoas que torcem pela volta do par uma vez que se fosse uma escolha nossa e não deles”, comentou o psicanalista, que lembrou também o caso de Gusttavo Lima e Andressa Suita.

Porém, esse apego a um par que não existe mais também pode ser prejudicial para o fã e para o artista. “Esse desvelo, essa ajuda, pode extrapolar os limites. Muitos se sentem no recta de ameaçar, ofender, cancelar e até mesmo chegar ao limite extremo, uma vez que temos visto no caso do Whindersson e da Luisa nos últimos dias. Isso é extremamente prejudicial”, ponderou Junior.

“Ao matrimoniar e se separar, o famoso paga um cima preço de ter milhões de padrinhos que se sentem no recta de interferir nessa relação. Talvez precisemos aprender a amar o próximo e respeitar as escolhas do seu ídolo, independentemente de qual for. A notoriedade é um ser humano que merece ter o recta de escolher seus melhores caminhos, mesmo que não venha preencher nossas expectativas”, concluiu.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui