Para estimular leitura no envolvente prisional, Agepen recebe doação de 6,7 milénio livros do Depen – Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

0
27
Links Patrocinados

Para fomentar o projeto de Remição pela Leitura, muito uma vez que, estruturar o pilha literário de unidades penais de Mato Grosso do Sul, a Dependência Estadual de Governo do Sistema Penitenciário (Agepen) recebeu a doação de 6,7 milénio livros do Departamento Penitenciário Vernáculo (Depen).

A ação contempla um projeto do órgão federalista com o objetivo de incentivar a leitura entre os detentos uma vez que segmento integrante do processo educacional, além de ser considerada uma importante instrumento de reinserção social dos apenados.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, destaca que a iniciativa traz benefícios no sentido de incutir novos valores e mudança de comportamento nos internos, além de prometer maior disciplina dentro do envolvente carcerário.

“Recebemos a doação de obras de autores clássicos e renomados, que muito contribuirão com os projetos desenvolvidos junto aos reeducandos”, complementa o dirigente.

Dentre os títulos recebidos estão “O Cortiço”, de Aluísio de Azevedo; “A Cor Púrpura”, de Alice Walker; “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector; “Prisioneiras”, de Dráuzio Varella; entre outras literaturas.

Ao todo, a Agepen recebeu 6,7 milénio obras literárias, escritas por autores clássicos e renomados

As obras irão criar os espaços de leitura que estão sendo implementados gradativamente em 35 unidades prisionais do Estado. Responsável pela coordenação dos trabalhos, a Diretoria de Assistência Penitenciária realizará a organização e distribuição dos livros, por meio de sua Repartição de Assistência Educacional.

Conforme a dirigente da Repartição, Rita de Cássia Argolo Fonseca, as obras literárias proporcionam espeque a projetos de ensino, de recreação e de ressocialização, prevendo a potencialização do tirocínio e preparando a pessoa privada de liberdade para o treino da cidadania no seu processo de reintegração social.

“Para variar o pilha das unidades penais e prometer maior disseminação do conhecimento aos reeducandos, estamos planejando a implantação do sistema de revezamento das obras entre as unidades penais, possibilitando a troca dos livros por um período de tempo”, explica Rita.

Os livros serão disponibilizados nos grupos implantados, nos Projetos de Remição pela Leitura e empréstimos de leitura livre. O empréstimo ocorrerá mediante a assinatura de um Termo de Compromisso de preservação do réplica.

Outra iniciativa que será implementada é o Projecto Vernáculo de Fomento à Leitura nos Espaços de Privação de Liberdade, desenvolvido pelo Parecer Vernáculo de Justiça (CNJ), e terá recenseamento inédito sobre a veras de projetos de leitura em todo o país. “Esse estudo irá viabilizar um Projecto Estadual de Fomento à Leitura para implantarmos nas unidades penais de Mato Grosso do Sul, contribuindo ainda mais com a transformação de trajetórias dos reeducandos através do saber”, informa Rita de Cássia.

A estratégia integra as ações do programa Fazendo Justiça, uma parceria entre CNJ, PNUD e espeque do Depen para superação dos desafios estruturais na privação de liberdade. O programa também trabalha ações em parceria com o Observatório da Leitura e do Livro e destaca a valimento da leitura uma vez que instrumento de ensino não formal e de cidadania.

Aliás, a Agepen também foi contemplada com a doação de dez filmes em DVD. A iniciativa integra as mais de 267 milénio obras de literatura que o Depen adquiriu para o sistema penitenciário brasílico e já estão sendo distribuídos a todos os Estados da Federação.

Tatyane Santinoni, Agepen

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui