OS rescinde contrato com empresa médica que atuava no Hospital de Aparecida

0
50

IBGH também abriu auditoria para averiguar indícios de má prestação de serviços

O Hospital Municipal de Aparecida (HMAP) pode perder a sua organização social (OS) gestora. O Instituto Brasílico de Gestão Hospitalar (IBGH) informou, por nota, que rescindiu contrato com o Innmed Gestão em Saúde Ltda. – responsável por prestar serviços médicos especializados à unidade – e determinou introdução de auditoria para averiguar indícios de má prestação de serviços.

A informação levantada pelo Mais Goiás é que havia uma divergência de horas informadas pelo Innmed com o verificado pelo IBGH e a prefeitura de Aparecida. Com a diferença de valores enviados, houve uma demora de pagamentos e os profissionais fizeram uma mobilização, ameaçando parar as atividades, responsabilizando o hospital e o instituto – o que não houve na prática. A situação se arrasta desde novembro. A auditoria irá checar a questão.

“O IBGH informa que ocorreu a rescisão do contrato com a empresa médica por má prestação de serviço. Mesmo rescindido, o contrato está sendo auditado pelo IBGH e os valores ainda em ingénuo só serão pagos depois o término da auditoria. O HMAP não recebeu qualquer missiva ou notícia por segmento de profissionais médicos informando a suspensão da prestação de serviços. O atendimento no HMAP segue normalmente, sem qualquer diferença, inclusive com recente ampliação da oferta de leitos e atendimento”, informou a OS por nota.

Ainda segundo a organização social, o hospital “vem sendo intuito de uma campanha de desinformação, que cria desnecessária e injustificada instabilidade no atendimento, prejudicando, unicamente, os pacientes e seus familiares”. Da mesma forma, o IBGH informou que os “repasses de recursos pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia ao HMAP estão rigorosamente em dia, em estrito cumprimento do contrato de gestão. O pagamento de fornecedores pelo HMAP segue cronograma, garantindo pleno atendimento aos pacientes da unidade”.

Confira a nota completa do IBGH:

“São completamente falsas e improcedentes as afirmações de que houve ou haverá falta ou interrupção de atendimento no Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) em decorrência de suposta e infundada paralisação de profissionais médicos.

O HMAP não recebeu qualquer missiva ou notícia por segmento de profissionais médicos informando a suspensão da prestação de serviços. O atendimento no HMAP segue normalmente, sem qualquer diferença, inclusive com recente ampliação da oferta de leitos e atendimento.

Os repasses de recursos pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia ao HMAP estão rigorosamente em dia, em estrito cumprimento do contrato de gestão.

O pagamento de fornecedores pelo HMAP segue cronograma, garantindo pleno atendimento aos pacientes da unidade.

O HMAP vem sendo intuito de uma campanha de desinformação, que cria desnecessária e injustificada instabilidade no atendimento, prejudicando, unicamente, os pacientes e seus familiares.

As providências legais relacionadas a esses episódios já estão em estudo pelo departamento jurídico do Instituto Brasílico de Gestão Hospitalar (IBGH).

Por termo, o IBGH informa que o que ocorreu foi a rescisão do contrato com a empresa médica por má prestação de serviço. O contrato já rescindido, porém, está sendo auditado pelo IBGH, e os valores ainda em ingénuo só serão pagos depois o término da auditoria.

O IBGH não vai permitir que informações falsas, unicamente veiculadas para produzir instabilidade e afetar pacientes e atendimentos, prossigam.”

Prefeito

Segundo o prefeito Gustavo Mendanha (MDB), já existe um edital público para um novo solicitação para substituir o IBGH, que solicitou 180 dias para deixar a gestão. “Sempre tive o libido de ter os melhores players ofertando serviço para o HMAP e estamos convidados boas opções pelo Estado e País e, também, todos que tiverem interesse em participar do processo seletivo”, pontuou.

Questionado se o problema foi financeiro, o prefeito disse que pode ter sido a questão da gestão, uma vez que o instituto já entrou a gestão em outras cidades do Estado. “O IBGH fazia um bom serviço, atendendo a população, principalmente durante a pandemia”, elogiou.

O Mais Goiás tentou contato com o Innmed Gestão em Saúde Ltda. para comentar a nota do IBGH, mas sem retorno. O espaço segue ingénuo.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal www.EMAISGOIAS.com.br pelo WhatsApp (62) 98272-3896 ou entre em contato pelo (62) 3259-6500

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui