O que é a economia compartilhada e uma vez que ela revoluciona o mundo dos negócios

0
35
Links Patrocinados

As últimas décadas trouxeram desafios e avanços para a sociedade mundial. Hoje, o zelo com o meio envolvente não pode ser mais deixado de lado e reduzir o consumo desordenado das últimas décadas é imperativo. Aliás, as inovações tecnológicas trouxeram uma novidade gama de oportunidades de negócios e serviços.

Na esteira dessas mudanças de paradigmas, surgiu no início da dez de 2010 o concepção de “economia compartilhada”, em que usar é mais importante do que ter. Nascente protótipo econômico é fundamentado em compartilhamento, troca e aluguel de bens e se baseia em pilares contemporâneos de consumo, uma vez que aproveitamento dos recursos naturais, otimização da produção e conscientização para redução do desperdício.

Moradia, mobilidade e todo tipo de serviços

Na economia compartilhada, toda a forma uma vez que os bens circulam é repensada. Aplicativos uma vez que AirBnb e Uber, por exemplo, revolucionaram a forma uma vez que pensamos nas nossas férias e o transporte quotidiano. Não precisamos ter uma lar no litoral para aproveitar a praia e nem comprar um coche se não temos a urgência de utilizá-lo diariamente. Da mesma forma, se temos um imóvel de veraneio ou um coche que está parado na garagem, eles podem se tornar fontes de renda.

Outras empresas baseadas na economia compartilhada são as que disponibilizam bicicletas e patinetes elétricos e revolucionam no vácuo de políticas públicas relacionadas à mobilidade urbana, uma vez que a Scoo. Aplicativos de financiamento coletivo, ou crowdfunding, uma vez que o Vakinha, também são cada vez mais populares. 

Uma estimativa divulgada em 2019, a PwC (Price Water House Coopers) projetou que muro de US$ 335 bilhões seriam gerados até 2025 em razão da economia compartilhada e serviços on-demand. 

Uma vez que a economia compartilhada está influenciando os investimentos? 

A mudança nas relações de consumo também já estão no radar dos investidores. Hoje, empresas baseadas na economia compartilhada, uma vez que a Uber e o Ifood, são consideradas “unicórnios”, ou startups que alcançaram valor de mercado supra de US$ 1 bilhão e a cada dia surgem novas companhias com ideias disruptivas e potencial para grande prolongamento. Neste texto falamos sobre o fenômeno dos unicórnios e uma vez que as pessoas físicas podem investir neles!  

O mercado imobiliário é um exemplo de setor que está sentindo os efeitos da economia compartilhada. Um exemplo de modalidade que passou a lucrar destaque nos últimos anos é o concepção de multipropriedade. Segundo o Secovi (Sindicato da Habitação), o protótipo de compra compartilhada de imóvel – em que é verosímil comprar frações de um imóvel e utilizá-lo para férias ou geração de renda – cresceu 18% em 2020, movimentando R$ 24 bilhões em valor universal de venda.

O protótipo de negócio surge uma vez que opção tanto para quem procura uma “segunda lar” para férias quanto para quem quer investir – seja adquirindo cotas para rentabilizar com a locação do imóvel ou por meio de fundos de investimento voltados para a construção e gestão de projetos de multipropriedade.
 

Deixe seu Observação

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui