Negócios com sabor de família e brasilidade

0
33

Comida é mais que um iguaria para o corpo. Através dos sabores, cores e texturas, as memórias são criadas, são estabelecidos os laços com a cultura, a ancestralidade e o afeto. Cônscio disso, o chef de cozinha Arthur Pendragon Marques Brito reinventou seu negócio em 2019, quando a participação no reality Rabi do Sabor (Orbe), mostrou o caminho da cozinha brasileira, uma culinária de raiz, feita daquilo que a Bahia possui de mais rico e enraizado.

Tudo ia muito, a visibilidade em rede vernáculo, o retorno à Feira de Santana repleto de ideias e sonhos, a concretização de sonhos importantes, porquê a realização de um evento internacional no México, em Cancun, onde foi responsável pelo buffet de um consórcio. Veio a pandemia e os sonhos passaram a lucrar contornos sombrios.

“Os desafios eram muitos porque, depois de sete anos trabalhando com a equipe, não queria dispensar ninguém; nunca gostei ou fui prosélito aos serviços de delivery, onde depois de empratar numa quentinha, o prato perde temperatura e textura no transporte; com uma dispensa que não podia ter muito resultado para não perder; precisando prometer pelo menos 30% de rendimentos para arcar com custos fixos”, conta. 

A solução para manter o negócio foi retomar o velho projeto dos congelados. De março a setembro do ano pretérito, essa foi a saída encontrada pelo chef e empresário. Quando as atividades voltaram, ele não perdeu tempo e incrementou novidades para movimentar o seu restaurante, mantendo os pratos congelados, que passaram a ser preparados uma vez por semana, sem impactar na atividade do restaurante, e com uma clientela diversificada.

As lições de empreendedorismo que nortearam a curso e a vida de Arthur Pendragon foram apresentadas na live Empregos e Soluções dessa quarta-feira, 7, na página do Jornal Correio (@correio24horas), no Instagram.

Arthur  contou porquê foi crescendo nos negócios  e vem conseguindo driblar a crise que chegou com a pandemia

(Foto: reprodução/Instagram) 

Resiliência

Esse ano, mais uma vez, o negócio sofreu um emoção com as novas medidas restritivas, mas Arthur diz que o sigilo é persistir. “Quando a gente tem um sonho, é importante nunca desistir, mesmo nos dias onde há desmotivação. Para qualquer negócio, é fundamental desvendar as habilidades pessoais e focar naquilo, buscando superioridade sempre”, contou durante a conversa com Flávia Paixão.

A persistência o fez prometer um boom de vendas durante a Páscoa desse ano, quando comercializou mais de 200 ovos artesanais e incrementou kits de chocolates para presentear, remontando um negócio do pretérito, quando vendia trufas e, com elas, conseguiu montar a cozinha.

Mostrando que a prática vale mais que o oração, ele aproveitou para anunciar que nessa quinta-feira, 8, anuncia novidades com uma traço de sanduíches, inspiradas no comportamento da clientela durante esse período. “Por vezes, as pessoas não querem um prato, mas preferem um lanche, principalmente à noite, quando não podemos terebrar”, disse.

A visão empreendedora de abraçar inovações e de compreender o mercado não é uma novidade na vida desse baiano. Quando moço, ainda morando em Igatu, nas visitas que fazia aos familiares em Feira de Santana, aproveitava para ir numa fábrica de sorvetes que ficava na saída da Cidade e enchia uma caixa térmica de picolé para vender na vila da Chapada Diamantina, que não tinha facilidade de acessar esse tipo de produtos. “Desde moço ajudava minha mãe na cozinha e quando voltamos para Feira, foi essa habilidade que me possibilitou independência financeira, vendendo lanches e chocolates na escola”, conta.

Legado familiar

Deliberado a aprimorar o dom, Arthur foi estudar gastronomia na Universidade Federalista da Bahia e chegou a atuar no Sheraton Hotel da Bahia e na delicatessen Comandante Brigadeiro, uma das pioneiras em trazer o concepção do brigadeiro gourmet para Salvador. Concluída a   formação universitária, em 2015, mais uma vez Arthur voltou a empreender com um projeto chamado Chef em Moradia, onde ia até as residências dos clientes e fazia congelados para a semana. “Na verdade, o projeto era a profissionalização de um tanto que eu já fazia durante a faculdade, quando voltava para passar finais de semana ou feriados em mansão”, disse.

A superioridade na produção chamou atenção da família e clientes, que começaram a pedir que ele organizasse festas de consórcio e datas porquê o dia dos namorados. Nascia assim, o Buffet Pendragon. Arthur conseguiu ainda fazer intercâmbio na Europa, unindo a paixão por viagens e a gastronomia. 

Chef falou ainda porquê a família grande favoreceu a presença na cozinha e a experiência na realização de eventos comemorativos

(Foto: Reprodução/Instagram)

De volta ao Brasil, ele foi convidado por antigos clientes a entrar numa sociedade e terebrar a Moradia do Gerente. “Ano pretérito, pude comprar a secção deles e imprimir ainda mais minha identidade ao negócio”, lembrou, durante a conversa com Flávia. Apesar das incertezas geradas com a pandemia, o empresário é formal em declarar que não dá para se acomodar agora e que continuará estudando e investindo em novidades para atender os atuais e futuros clientes, seja na forma presencial, através dos produtos desenvolvidos paralelamente, ou nas receitas compartilhadas nas redes sociais  @chefarthurpendragon, @rotisseriacasadochef, @buffetpendragon. 

As lives Empregos e Soluções são realizadas todas as quartas-feiras, às 18 horas, na página do Jornal Correio (@correio24horas), no Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui