Nasdaq fecha em possante queda com trambolhão das ações de tecnologia | Bolsas e índices

0
30

Os índices acionários de Novidade York fecharam sem direção única, com as ações mais ligadas ao ciclo de desenvolvimento conseguindo assentar leves ganhos, enquanto as ações de tecnologia anotaram perdas acentuadas.

Depois ajustes, o Nasdaq fechou em possante queda de 2,46%, a 13.533,05 pontos, pressionado pela queda das ações de tecnologia, enquanto o S&P 500 recuou 0,77%, a 3.876,50 pontos, e o Dow Jones avançou 0,09%, a 31.521,69 pontos.

  • Ibovespa desaba 5% em seguida Bolsonaro interferir na Petrobras; estatal derrete mais de 21%

As ações de tecnologia – que lideraram as perdas, fechando em queda de 2,26% no S&P 500 – são castigadas desde a semana passada pela disparada dos juros dos títulos do Tesouro americano, que foram impulsionados pela expectativa em torno de um pacote de estímulos fiscais de US$ 1,9 trilhão nos EUA, que deve, por sua vez, nutrir a inflação no país.

“Eles estão prestes a jogar fluido de isqueiro no churrasco com estes US$ 1,9 trilhão em estímulos”, disse Patrick Spencer, diretor da Baird, à Dow Jones Newswires. “Temos tudo em prol neste momento: boas notícias sobre a covid-19, estímulos e bons balanços corporativos. É por isso que os juros subiram”.

O progresso dos juros de longo prazo eleva a atratividade dos papéis, que voltam a ser uma selecção viável às ações, conforme os yields se recuperam do trambolhão do ano pretérito. O movimento prejudica principalmente as ações de tecnologia, que subiram mais de 40% no ano pretérito e estão sendo vistas porquê bastante caras no momento.

“Não é por possibilidade que as ações têm demonstrado irresolução em seguida atingir novos recordes recentemente, marcadas pelo desempenho subalterno do Nasdaq, que é mais sensível a taxas mais altas”, disse Julian Emanuel, estrategista-chefe de ações e derivativos da BTIG, em nota.

“Uma aceleração material nos rendimentos de longo prazo, combinada com uma recuperação contínua dos juros reais pode apresentar um vento contrário para as ações. Ainda há a perspectiva de rebalanceamento da alocação de ativos no termo do mês – com verosímil venda de ações para compra de títulos – que pode ocorrer no termo desta semana, Emanuel disse.

Enquanto as ações de tecnologia caem, os investidores fazem uma rotação em direção às ações de setores que devem se beneficiar mais da recuperação econômica alimentada pelos estímulos fiscais, porquê o bancário e o de pujança. As ações do setor de pujança lideraram os ganhos, com subida de 3,47% no S&P 500, impulsionadas também pela disparada nos preços do petróleo. As ações do setor financeiro tiveram a segunda melhor performance do dia, fechando em subida de 0,98%.

Wall Street — Foto: Getty Images

(Teor publicado no Valor PRO, serviço de tempo real do Valor)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui