Na pandemia, setores crescem e demandam tecnologia para digitalização de processos

0
61
Links Patrocinados

Devido à pandemia do Covid-19, alguns setores se digitalizaram mais rápido do que outros uma vez que, por exemplo, saúde, varejo e ensino. Com a Transformação Do dedo e a procura por ferramentas inovadoras, empresas investiram em tecnologia e profissionais especializados. Segundo o estudo “Covid-19 e o porvir dos negócios”, realizado pela IBM com mais de 3.800 executivos C-Level em 20 países e 22 setores, seis em cada dez empresas aceleraram projetos de digitalização e 51% dos executivos planejam priorizar ações desse tipo nos próximos dois anos.

A saúde foi uma das áreas com maior desenvolvimento nos últimos meses. Com a pandemia do coronavírus, a telemedicina se tornou uma selecção mais segura para o atendimento médico. De combinação com estudo da Zebra Technologies, 77% dos pacientes avaliam positivamente o uso de dispositivos móveis durante as consultas médicas. Ou por outra, a pesquisa revela que a digitalização de ferramentas para a otimização do atendimento de pacientes pode reduzir em 61% as chances de prescrever medicamentos errados, 52% as falhas na hora de etiquetar amostras e em 46% equívocos médicos evitáveis.

No Brasil e no mundo, há uma verdadeira guerra por profissionais especializados. De cientistas de dados a engenheiros, as empresas estão em procura dos melhores talentos de TI para aprimorarem seus negócios

“Agora, mais do que nunca, a tecnologia está presente na maioria dos setores. E, na saúde, não foi dissemelhante, otimizando serviços essenciais e facilitando os atendimentos. O monitoramento de doenças crônicas e o mapeamento ordenado de estilo de vida para prevenir possíveis doenças são algumas das vantagens dessa digitalização no mercado de saúde”, explica Alexandre Supremo, CEO da Medipreço, startup parceira no zelo à saúde e bem-estar de colaboradores de empresas.

Outro setor que se reinventou durante a pandemia e obteve bons resultados é o varejo do dedo. De combinação com estimativas da Neotrust/Compre&Confie, o mercado faturou mais de R$ 33 bilhões no segundo trimestre deste ano, mais do que o duplo da zero registrada no mesmo período do ano pretérito. O aumento significativo das vendas online também impacta diretamente na quantidade de fraudes no setor e, consequentemente, nos profissionais contratados para essa atuação. Nos seis primeiros meses do ano, foram mais de R$ 765 milhões em fraudes evitadas, aponta levantamento da ClearSale.

De combinação com Alexandre Tibechrani, General Manager Latam da Ironhack, escola global de tecnologia e programação, muitas pessoas observaram nessa digitalização dos setores, uma oportunidade para recolocação no mercado. “No Brasil e no mundo, há uma verdadeira guerra por profissionais especializados. De cientistas de dados a engenheiros, as empresas estão em procura dos melhores talentos de TI para aprimorarem seus negócios”, diz.

Vista por muito tempo uma vez que prenúncio, a tecnologia provou ser uma aliada aos professores e utensílio necessário para ensino durante o isolamento social. Escolas do mundo inteiro tiveram que se ajustar a uma novidade verdade e estugar o processo de digitalização. De combinação com relatório divulgado pela Unesco, tapume de 40% de um grupo de 200 países não possuíam estruturas para oferecer suporte tecnológico aos alunos durante a pandemia. Em contrapartida, levantamento realizado pelo Google apontou que a procura por cursos de especialização por ensino à intervalo teve um prolongamento de 130% no pico da quarentena, em meados de março de 2020.

“As pessoas nos procuram para aprender habilidades técnicas e de trabalho em grupo, visando um novo trabalho para dar início a um novo caminho profissional. Nesse contexto, a tecnologia, além de uma utensílio que facilita os estudos, se torna uma opção para a curso de muitos. Por exemplo, os bootcamps de tecnologia e programação da Ironhack, são cursos imersivos em que o aluno pratica todos os dias, durante várias horas, tudo o que aprendeu até aquele momento, sempre de forma online, visando sempre, ao final da jornada, um trabalho que inclusive pode ser 100% remoto”, finaliza o executivo.

Serviço
www.ironhack.com/br

 

Alexandre Supremo

Alexandre Tibechrani

Digitalização de processos

Ironhack

pandemia

saúde

Transformação Do dedo

varejo e ensino

Vendas online

Zebra Technologies

Você também pode gostar

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

ENCARTE – ESPECIAL DISTRIBUIÇÃO

Prêmio Superioridade em Distribuição, e listagem de distribuidores de TIC

Leia nessa edição sobre carreira

ANÁLISES

Evoluções digitais

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

TECNOLOGIA

Arquitetura descentralizada

Esta é para você leitor da Revista Do dedo:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

QUALIFICAÇÃO

Na jornada do conhecimento

Junho| 2021 | #47 – Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui