Moradora de Esteio registra B.O. depois demorado de 50 dias em cirurgia – cotidiano

0
48
Links Patrocinados




Santa Moradia Anna Cintra, em Esteio, deixou de fazer cirurgias eletivas (Foto: Divulgação)

Uma moradora de Esteio registrou um boletim de ocorrência na última segunda-feira (3) para protocolar uma denúncia depois o demorado de 50 dias para a realização de uma cirurgia ortopédica em sua mãe, uma idosa de 75 anos de idade que fraturou o fêmur distal no dia 13 de março. Segundo o relato, a paciente foi atendida na Santa Moradia Anna Cintra na data do incidente, e a equipe médica a mandou para morada com a promessa de agendar um procedimento cirúrgico.

Nas semanas que seguiram, a idosa precisou ser encaminhada à unidade de saúde para receber medicação para o conforto da dor. Na ocasião, o médico que efetuou o atendimento orientou que a paciente não poderia se movimentar, pois há a possibilidade da lesão motivar uma embolia pulmonar ou uma trombose.

De entendimento com o boletim de ocorrência, um novo contato foi realizado no dia 23 de abril, quando o grupo de ortopedia relatou que a cirurgia seria efetuada na mesma semana, o que não aconteceu, segundo a filha da paciente. Na última segunda-feira (3), a paciente retornou à Santa Moradia Anna Cintra, e lhe informaram que a unidade não trabalha mais com casos de ortopedia. A medida foi anunciada mais tarde, na mesma data, através de um pronunciamento nas redes sociais do hospital.

Aliás, a filha da paciente foi orientada a entrar em contato com a prefeitura de Esteio, já que a responsabilidade seria do município, de entendimento com o hospital. Ao relatar o caso à prefeitura, foi requisitado um boletim de ocorrência, lavrado ainda nesta segunda (3). 

Moradora de Esteio registra boletim de ocorrência depois ter procedimento cirúrgico recusado (Reprodução)

Em nota, o setor de notícia da governo municipal afirmou que “a prefeitura de Esteio está agora em processo de negociação com a Santa Moradia Anna Cintra para que a realização do contrato seja cumprida e a cirurgia seja realizada, uma vez que essa cirurgia se trata de uma cirurgia de urgência, e não eletiva”.
O hospital Santa Moradia Anna Cintra afirmou, em nota, que os familiares da paciente de 75 anos optaram “pelo tratamento conservador (desvelo em morada)”, durante o primeiro atendimento, em março.

Já em abril, o prontuário médico, documentado na unidade de saúde, relata que, apesar do risco de complicações, a família “optou pela perpetuidade do tratamento conservador, sendo assim, diante da decisão familiar, o procedimento saiu do caráter de complicação de urgência e emergência”.

Segundo a filha da paciente, a informação não procede, pois o tratamento em morada foi uma recomendação em março, antes da atualização da quesito da paciente. Posteriormente o retorno ao hospital no mês de abril, o médico ortopedista relatou a movimentação do osso, um tanto que possui risco de vida. Na data em questão, foi solicitada a cirurgia, que nunca foi realizada, e foi cancelado o tratamento domiciliar.

Repercussão nas redes sociais

Outra moradora da cidade acionou a Polícia Militar na manhã de segunda-feira (3), depois ter o atendimento de seu rebento com um braço quebrado refutado na unidade de saúde. Segundo um vídeo, divulgado nas redes sociais, a garoto teria uma fratura que necessitava de cirurgia e que já havia sido solicitada por um médico do posto de saúde. Ao chegar na Santa Moradia Anna Cintra, a mãe do paciente foi avisada de que o hospital não realizava mais o procedimento.

Posteriormente a repercussão do vídeo nas redes sociais, o prefeito Carlos Alberto Martins (MDB) entrou em contato com a moradora e afirmou que, ao relatar o caso para o secretário de Saúde, Dr. Cazotto, a cirurgia havia sido agendada para a garoto no hospital Beneficência Portuguesa de Esteio (BPA).

Em relação à falta de atendimento na Santa Moradia Anna Cintra, o dirigente do executivo relatou que, “a equipe de saúde, conjuntamente com o jurídico, estão trabalhando para encontrar uma solução”, disse em mensagem.

Em nota, a Santa Moradia Anna Cintra disse que “a Diretoria estabeleceu espaçoso diálogo com o Executivo amparense, apresentando, rigorosamente, suas prestações de contas, para que com o espeque do município a Santa Moradia possa continuar prestando serviços de superioridade à população de Esteio e região”.

Em mensagem, o prefeito Carlos Alberto Martins (MDB) relatou que “todos os repasses estão sendo feitos, inclusive, antes da data”, e acrescentou que está executando “o contrato e projecto de trabalho assinado pelo prefeito anterior”, finaliza o dirigente do executivo.

Interrupção dos serviços

A Santa Moradia Anna Cintra informou que o convênio com a prefeitura de Esteio para a realização de cirurgias eletivas das áreas de ortopedia e traumatologia, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), não foi renovado e que os procedimentos agendados nessas duas modalidades não acontecem mais na unidade. 

Leia mais 

Esteio: Santa Moradia encerra convênio com a prefeitura para cirurgias eletivas

No início da tarde desta segunda-feira (3), a Santa Moradia Anna Cintra divulgou um pronunciamento a reverência do caso em sua rede social, no qual a presidente Patrícia Marcondes relatou que os serviços com caráter de urgência e emergência das áreas de ortopedia e traumatologia ainda serão realizados na unidade de saúde, pois o convênio com a prefeitura abrange essas situações.

“Porém, se você vai para morada e, ulterior a isso, precisa de uma cirurgia, isso é uma cirurgia eletiva, que são cirurgias agendadas e que não são feitas em urgência. Para essas cirurgias, nós não temos mais convênio na Santa Moradia Anna Cintra. E eu gostaria que você, população de Esteio e região, tenha a certeza de que o nosso libido era de continuar fazendo, porquê fazíamos no ano pretérito, mas, infelizmente, o nosso convênio com a prefeitura não foi renovado”, explica a gestora da unidade.

A presidente do hospital, Patrícia Marcondes, ainda salienta que os procedimentos agendados passaram a ser realizados no hospital Beneficência Portuguesa de Esteio (BPA), uma vez que a unidade em questão possui convênio para cirurgias eletivas com a prefeitura da cidade, assim porquê para a realização de pronto-atendimento de urgência.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui