Mineração de criptomoedas na China pode prejudicar objetivos climáticos

0
52

Esta rede de mineração é gerada por “mineiros ou mineradores” que utilizam computadores poderosos que consomem quantidades absurdas de eletricidade. (Crédito: Reprodução/Divulgação)

A China detém um vasto poderio no negócio global de moedas criptográficas, sendo responsável pela maioria do processo de mineração. Paralelamente, estabeleceu o ano de 2030 para diminuir as suas emissões de carbono. Estas duas responsabilidades não são compatíveis e a mineração de moedas poderá comprometer os objetivos climáticos estabelecidos pela China.

+ Ações da China caem pressionadas por ações de consumo

Embora não seja um processo muito publicado, as moedas criptográficas dependem de uma tecnologia apelidada de blockchain. Em grosso modo é uma base de dados compartilhada de transações cujas entradas devem ser confirmadas e encriptadas.

Esta rede de mineração é gerada por “mineiros ou mineradores” que utilizam computadores poderosos para verificar as transações. Estas máquinas consomem quantidades absurdas de eletricidade. Conforme revela um estudo publicado na revista Nature, as minas de Bitcoin chinesas, que consomem quantidades enormes de eletricidade, alimentam quase 80% do negócio global de moedas criptográficas.

Desses, 40% são alimentados com carvão, sendo os restantes com energias renováveis. Nascente consumo excessivo poderá pôr em risco os objetivos da China em reduzir as emissões de carbono, até 2030, e atingir a neutralidade, até 2060.

De pacto com o estudo, se não forem implementados controles, as minas na China gerarão 130,5 milhões de toneladas métricas de emissões de carbono, até 2024. Nascente valor aproxima-se das emissões anuais de gases com efeito de estufa da Arábia Saudita, por exemplo, rica em petróleo.

“A operação intensiva da blockchain de moedas de Bitcoin na China pode crescer rapidamente uma vez que uma prenúncio que pode potencialmente minar o esforço de redução de emissões.”

Veja também

+ Curso da Dezena – Veja uma vez que ingressar na curso que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida gratuito e vai presa
+ Zona Azul do dedo em SP muda dia 16; veja uma vez que fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Eructar muito pode ser qualquer problema de saúde?
+ Tubarão é tomado no MA com sobras de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Invenção oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui