Mercado de NFTs despenca enquanto consumidores reconsideram preços | Finanças

0
38
Links Patrocinados

O mercado de ativos digitais passou por um prolongamento histórico em 2021 e junto a esse movimento chegaram os NFTs, os tokens não fungíveis que foram incorporados nos mercados de arte do dedo, música, games e inúmeros outros, gerando leilões milionários durante o auge da euforia. Agora, porém, seus preços parecem estar diminuindo a um ritmo rápido.

NFTs perdem valor rapidamente nas últimas semanas (Imagem: Marco Verch/Flickr)

Por fim, essa tecnologia começou a ser utilizada para registrar praticamente qualquer coisa em rede blockchain, com posse e autenticidade garantidas. Dessa maneira, ativos digitais extremamente exclusivos e até mesmo colecionáveis começaram a surgir e seus preços foram determinados pela simples lógica do maior lance. Se uma única pessoa no mundo todo estiver disposta a remunerar milhões por uma ilustração, por exemplo, portanto esse NFT vale milhões.

Consumidores reconsideram se vale a pena comprar NFTs

Porém, assim porquê era esperado, a euforia que incentivava essa vaga de compras a preços absurdos foi esfriando. Agora, consumidores não se mostram mais dispostos a remunerar pequenas fortunas por uma representação do dedo de alguma coisa. Entre fevereiro e abril, o valor médio desses ativos caiu 70%, mas o mercado se recuperou em maio com o aumento de procura por colecionáveis raros. Junho, porém, parece ser o pior mês até agora para os tokens não fungíveis.

O site de blockchain e ativos digitais Protos relatou na quarta-feira (02) que os NFTs rastreados no banco de dados Nonfungible.com atingiram um pico de valor no dia 3 de maio, registrando US$ 102 milhões em transações de tokens não fungíveis em unicamente 24 horas. Aquela mesma semana movimentou no totalidade US$ 170 milhões. Mas, se compararmos com dados um pouco mais atuais, esse valor despencou para US$ 19,4 milhões nos últimos sete dias, uma desvalorização de mais de 80%.

Arte do dedo não é tão relevante no mercado

Esses ativos começaram a invocar a atenção na venda de obras de arte digitais, porquê a peça “Everydays — The First 5000 Days”, do artista Beeple, que foi leiloada por US$ 69 milhões na Christie’s em março, se tornando o NFT mais custoso até hoje. Porém, o que realmente movimenta o mercado de tokens não fungíveis sempre foram e continuam sendo os colecionáveis. Os chamados CryptoPunks, que são avatares pixelados limitados, são um exemplo disso. Em meados de maio, um conjunto de nove desses NFTs foi leiloado por US$ 17 milhões.

De congraçamento com o Protos, US$ 9,2 milhões em cripto-colecionáveis ​​foram vendidos na semana passada. Os NFTs dos “metaversos”, que são mundos virtuais baseados na teoria clássica de “Second Life”, venderam US$ 3,3 milhões em objetos, roupas, avatares e muitos outros tipos de ativos digitais in-game no mesmo período. Na veras, o mercado de arte é atualmente a mais restrita troço do mercado, movimentando US$ 3 milhões, sendo superado até mesmo pelas cartas colecionáveis da NBA Top Shot, que levantaram US$ 3,16 milhões em tokens não fungíveis.

De uma maneira universal, os dados indicam que as pessoas estão reconsiderando se realmente vale a pena gastar tanto quantia nesses colecionáveis digitais. O número de carteiras de NFTs ativas também caiu de mais de 12.000 no pico quotidiano de cada setor de tokens para unicamente 3.900 registrados na quarta-feira (02), uma queda de aproximadamente 70%.

Com informações: Gizmodo, Protos

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui