Honda Civic também tem suspensão da produção no Brasil

0
47

Assim uma vez que o Chevrolet Onix e seu irmão, o Onix Plus, a Honda também suspendeu a produção do Civic no Brasil pelo mesmo motivo. A falta de chips para produção de componentes eletrônicos do sedã médio interrompeu a risca de produção.

Entre os dias 5 e 12 de fevereiro, a Honda havia paralisado a produção do Civic por falta de dispositivos eletrônicos devido à escassez de chips no mercado internacional. Agora, a novidade paralisação ocorrerá entre os dias 5 e 10 de março.

Com isso, a suspensão na produção do Civic somará 17 dias entre fevereiro e março, período pouco menor que o do Onix, que terá 20 dias de linhas suspensas. Aliás, a Honda concederá férias coletivas para milénio empregados da unidade de Sumaré, interno de São Paulo.

Em nota, a montadora disse: “A Honda Automóveis do Brasil confirma paragem temporária em sua risca de produção do padrão Civic na fábrica de Sumaré (SP), em virtude dos impactos da pandemia da Covid-19 nas cadeias globais de suprimento, que ocasionaram um desequilíbrio entre oferta e demanda de semicondutores”.

De entendimento com a Honda, serão tomadas medidas para minimizar o impacto da escassez de chips na produção do Civic, alegando ainda que os modelos Fit, City e HR-V não foram afetados pela falta de componentes eletrônicos.

Sua produção agora ocorre em Itirapina, região meão do estado de São Paulo, onde a Honda trasladou a risca de produção desses compactos. Já o Civic ficou em Sumaré, onde pode terminar seus dias no Brasil, de entendimento com rumores.

A pandemia mudou o perfil de compra dos consumidores, que passaram a comprar mais produtos eletrônicos para passarem o tempo em vivenda, durante a quarentena e restrições de circulação.

Assim, com as fábricas de automóveis paradas pela contaminação, os fabricantes de chips se concentraram na indústria de eletrônicos. Portanto, com a rápida recuperação dos mercados automotivos, os fornecedores de chips não conseguem atender às duas demandas, dando prioridade para os eletrônicos devido aos volumes e preços melhores.

[Fonte: Automotive Business]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui