Governo tentará solucionar impasse em Orçamento por meio de emenda a projeto do Congresso Por Reuters

0
9
© Reuters. Vista do prédio do Congresso Pátrio em Brasília

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – O governo prepara uma solução para o impasse envolvendo o Orçamento deste ano, que passará pela apresentação e aprovação de emenda a um projeto a ser votado em sessão desta segunda-feira do Congresso Pátrio, informou o líder do DEM na Câmara, Efraim Rebento (PB), relator da proposta.

A emenda será apresentada na intenção de promover ajustes e solucionar os conflitos que impediam a sanção do Orçamento deste ano.

O projeto relatado por Efraim traz alterações à Lei de Diretizes Orçamentárias e foi editado para “adequar os requisitos para aumento de despesas que não sejam obrigatórias de caráter continuado”. A mudança à LDO permitirá que sejam apresentadas propostas legislativas que impliquem em aumento dessas receitas sem a urgência de ressarcimento, caso de programas editados para moderar os efeitos da crise do coronavírus.

Essas propostas poderão ser apresentadas desde que tenham uma estimativa de impacto e estejam adequadas às leis orçamentárias.

“O PLN 2, de 2021, portanto, aperfeiçoa a LDO 2021 ao propor o término de um engessamento desnecessário na implementação de políticas públicas, ainda mais quando se está diante de um grave quadro de crise sanitária, com consequências sociais e econômicas sem precedentes em nossa história recente”, diz o líder, no parecer.

Efraim alterou alguns pontos do texto, caso de cláusula que trata das metas e prioridades da governo pública federalista. O relator optou por deixar de fora da contabilidade da meta de resultado primitivo os créditos extraordinários para programas emergenciais de combate a efeitos econômicos da pandemia para o setor privado, uma vez que o de suporte a microempresas e de pequeno porte, o de aproximação ao crédito, e ainda de suporte a empregos, que permite a redução de jornada de jornada e salário, assim uma vez que ações e serviços públicos de saúde relacionados à pandemia de Covid-19.

A sanção do Orçamento, que precisa ocorrer até quinta-feira desta semana, expôs um impasse entre o Congresso, a flanco política e a equipe econômica do governo. O ministro da Economia, Paulo Guedes, vem repetindo que procura uma opção que atenda a requisitos políticos e também jurídicos.

O Orçamento foi sancionado com uma reestimativa de 26,5 bilhões de reais para inferior das despesas obrigatórias do governo e uma elevação dos recursos direcionados a emendas parlamentares, o que, segundo o Tesouro, cria o risco de “paralisação das atividades essenciais do Estado”.

Guedes chegou a mencionar que um veto integral poderia prometer blindagem jurídica ao governo, mas seria um movimento difícil em termos políticos. A Economia passou, portanto, a considerar a possibilidade de cortes de emendas parlamentares, mas havia acordos celebrados e impasses jurídicos a serem dissolvidos.

Enunciação de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the recente market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui