Governo indica João Francisco Ferreira uma vez que novo diretor-geral de Itaipu

0
57

Folhapress

Estrela do Flamengo, Arrascaeta já foi menosprezado pelo Inter

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – De Arrascaeta é um dos principais jogadores do Flamengo. Vencedor brasiliano, da Libertadores, irrecusável e um dos pilares do time, o uruguaio poderia ter outro sorte no Brasil. A ingresso no país pelo Cruzeiro por pouco não acabou ocorrendo no Internacional. Mas, a direção da era o considerou “suplente dispendioso” e preferiu investir em Anderson. A história de Arrascaeta com o Colorado começou no termo de 2014. A direção da era já via nele todo potencial que posteriormente o uruguaio mostrou ter. O logo diretor de futebol, Roberto Melo, procurou o Padroeiro, do Uruguai, e alinhou a chegada do jogador por valor correspondente a aproximadamente R$ 10 milhões. O convenção ocorreria com auxílio do investidor Delcir Sonda. O problema é que pelo caminho tinha uma eleição. Marcelo Medeiros, varão do futebol na gestão de Giovani Luigi, foi derrotado por Vitório Píffero, e o Colorado mudou de rumo, com a negociação indo pelo mesmo caminho. Píffero perdeu a parceria de Sonda com a mudança no regulamento para participação de investidores no futebol e queria parcelar o pagamento. O clube uruguaio só liberaria Arrascaeta com pagamento subitâneo e viu surgir o Cruzeiro também uma vez que postulante. Eis que o Colorado se retirou do negócio e Arrascaeta foi definido uma vez que “dispendioso para ser suplente”. “O ingresso do Cruzeiro na negociação foi alguma coisa normal. Por uma série de motivos, o Inter fica dentro do seu parâmetro e sai do negócio. De qualquer forma, De Arrascaeta seria suplente se viesse. E, para um suplente, seria dispendioso”, disse Píffero ao jornal Zero Hora na ocasião. Alex, D’Alessandro, Valdivia, João Paulo, Alisson Farias e Sasha eram as opções usadas no meio-campo naquela era. E não foi só pela questão financeira. A direção da era já tinha em mente seu fim para o meio-campo. Era Anderson, formado na base do Grêmio e que estava sem clube. Enquanto tratava com Arrascaeta, o time gaúcho já havia guiado convenção com o ex-Manchester United, que foi anunciado semanas mais tarde num contrato de quatro anos, tal qual salário batia em R$ 500 milénio mensais, e mais luvas de R$ 4 milhões. O resultado foi catastrófico. Anderson nunca se firmou entre os titulares do Inter, chegou a ser emprestado ao Coritiba e acabou rescindindo vínculo no início de 2018. O convenção de pagamentos em 30 meses foi encerrado em 2020. Ainda que tenha sido semifinalista da Libertadores de 2015, o Inter viveu a pior temporada de sua história em 2016, com rebaixamento para Série B do Brasílio. Píffero foi excluído do quadro social do clube junto com alguns pares de direção anos mais tarde por supostos desvios de recursos do clube, e sua última passagem pelo Borda-Rio ainda é fim de investigação no Ministério Público. SUCESSO NO FLAMENGO Ao preterir Arrascaeta, o Internacional abriu espaço para uma investida ulterior do Cruzeiro, que apostou no logo ignoto talento uruguaio. Posteriormente estoirar pelo clube sideral, o uruguaio se valorizou, se firmou uma vez que um dos melhores do Brasil e chegou ao Flamengo a peso de ouro. Contratado por muro de R$ 80 milhões, inaugurou uma era de reforços caros e badalados que teve início na gestão de Rodolfo Landim. A transação foi a mais rostro do Rubro-Preto até as aquisições de Pedro e Gabigol. Em campo, o meia justificou cada centavo investido pelo Fla em seu futebol. Posteriormente ser preterido por Abel Braga, que não encontrou um lugar no time para o jogador, ele explodiu com a chegada de Jorge Jesus, tornando-se decisivo para as conquistas do Brasílio e da Libertadores de 2019. Ao lado de Gabigol e Bruno Henrique, formou um trio que demoliu os rivais e que segue dando dor de cabeça até hoje. Com 100 jogos pelo Fla, soma sete gols e oito assistências na atual edição do Brasílio. No Ninho do Urubu, “Arrasca” tem status de craque e de titular irrecusável. Depois de oscilar com o time, subiu à medida que a equipe reencontrou o bom futebol. Com liberdade para circunvalar, o desportista cumpre papel importante também sem a globo no pé, já que suas movimentações abrem espaço para os companheiros e confundem os rivais. Renovado de dores no tornozelo, o planeta é presença mais que confirmada para o jogo de domingo (21) contra o Internacional, às 16h, no Maracanã. O duelo é considerado uma “final”, pois poderá resolver o título do Brasileirão 2020 na penúltima rodada. Para que isso aconteça, o Colorado precisa vencer o Rubro-Preto. Dessa forma, abriria quatro pontos de vantagem na liderança -atualmente soma 69 pontos contra 68 do Flamengo- e não poderia mais ser conseguido na última rodada. Se houver empate, o Flamengo ainda poderia ultrapassar o inimigo na última rodada. Nesse caso, precisaria lucrar do São Paulo no Morumbi e torcer para o Inter não espancar o Corinthians no Borda-Rio. Para essa partida, o Inter tem um grande reforço. O meio-campista Patrick, que não participou da vitória sobre o Vasco na rodada passada por estar suspenso, volta ao time em lugar de Maurício. A notícia ruim é a falta do zagueiro Cuesta, suspenso. Do lado rubro-negro, o negociata também está na resguardo. Willian Arão sofreu fratura no dedo do pé e fica fora do confronto. Dessa forma, Gustavo Henrique formará a dupla de zaga com o Rodrigo Caio. FLAMENGO Hugo Souza; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique, Filipe Luís; Diego, Gerson, Everton Ribeiro, Arrascaeta; Gabigol, Bruno Henrique. T.: Rogério Ceni INTERNACIONAL Marcelo Lombada; Rodinei, Lucas Ribeiro, Zé Gabriel, Moisés; Rodrigo Dourado, Edenilson, Patrick, Praxedes, Caio Vidal; Yuri Alberto. T.: Abel Braga Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Horário: 16h deste domingo Juiz: Raphael Claus (SP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui