Getbots passa a admitir criptomoedas uma vez que forma de pagamento

0
64
Links Patrocinados

Mercado

Novidade chega ao B2B em seguida empresas adquirirem maior privança sobre pagamentos digitais. Maturidade, no entanto, deve vir no médio prazo com a maior adesão por secção dos consumidores em universal

Por Priscilla Oliveira – 23/06/2021

Os investimentos digitais vêm crescendo ano a ano e as empresas estão atentas a todas as possibilidades transacionais. A partir do quadro universal da América Latina, a maioria dos países da região apresentaram tendências ascendentes na subcategoria de investimentos em termos de alcance – em grande secção devido ao uso das exchanges de criptomoedas – destacando Colômbia e Argentina, países que registram um propagação de mais de 100% em investimentos digitais entre novembro de 2020 a fevereiro de 2021, segundo dados da Comscore.


No Brasil, o mercado começa a dar sinais que está pronto a atuar com criptomoedas. Antenada a isso, a Getbots passou a admitir criptomoedas uma vez que forma de pagamento por seus serviços. Inicialmente, a companhia aceitará Bitcoin e Ethereum. Nessa relação B2B, a Getbots pretende se diferenciar entre as opções, haja visto que seus clientes são grandes empresas e, muitas de tecnologia.


A teoria de trabalhar com a ratificação do pagamento em cripto surgiu em 2017, mas foi preciso o mercado brasílico amadurecer o mínimo para oferecer essa opção. “No início havia muita resistência por não saber se era confiável ou se era de esquema de pirâmide. Atualmente sabemos que traz retorno e é um bom investimento, pouco a pouco as pessoas estão buscando saber mais e nossos clientes já são alguns familiarizados com o tema”, contou Luiz Tardelli, cofundador e CEO da Getbots, em entrevista ao Mundo do Marketing.


Opção deve levar tempo para ser adotada


Incluir criptomoedas uma vez que meio de pagamento já é uma forma inovadora de se evidenciar perante os concorrentes. A Getbots é uma companhia especializada em chatbots e interfaces conversacionais e observa as empresas similares investirem mais na questão de interface. “Nós não deixamos de focar na melhoria dos serviços – que são o que as marcas buscam para melhorar o relacionamento com o consumidor -, mas não deixamos de requintar as entregas para esse nosso cliente. A inovação ela não vem exclusivamente no que está na ponta do negócio, mas na secção relacional também”, conta Tardelli.


Uma vez que a novidade chegou à Getbots em maio, ainda não há nenhuma empresa que tenha adotado a moeda do dedo uma vez que forma de pagamento. Para Tardelli, isso envolve decisões em contratos, um pouco que leva tempo entre as grandes companhias. A adoção de uma novidade forma de pagamento também precisa passar por um processo de ensino dos gestores, um pouco que deve levar um tempo ainda”, pontua o CEO.


Apesar de muitos líderes de empresas serem visionários quanto às tecnologias, quando um pouco envolve numerário, o desvelo em mudar o que está dando patente é maior. Difundir os casos de sucesso e mostrar os resultados é uma das maneiras de mudar a mente não exclusivamente dentro do meio corporativo, mas dos consumidores em universal.


Evolução virá com maior fmailiaridade


A adaptação para uma novidade tempo da era financeira deve vir em médio prazo. Tardelli aponta que diversas empresas começarão a produzir sua própria moeda no horizonte. “Assim uma vez que o brasílico acostumou-se com o PIX, ele acostumará com criptomoeda. Ainda é uma termo que deixa muita gente desconfortável e se questionando se é lícito, mas vemos um interesse crescente”, conta o CEO da Getbots.


Essa adaptação não só se reduz ao uso e aproximação a plataformas de investimentos digitais, uma vez que também mostra uma comunidade social comprometida e ativa que está continuamente analisando a volatilidade do mercado e compartilhando-a em redes sociais. Durante abril de 2021, na América Latina as principais redes sociais do mundo registraram 95 milénio menções em relação às exchanges de criptomoedas onde mais de 90% foram realizadas através do Twitter e representam um incremento de 30% em confrontação ao mês anterior, segundo dados da Comscore.


Para iniciar a operação por meio de moeda do dedo, a Getbots contratou um consultor técnico em criptomoedas para facilitar nos recebimentos. “É um pouco tão simples uma vez que o PIX. Passaremos o endereço da carteira da Getbots e o valor em criptomoeda, para que nosso cliente transfira a quantia da carteira dele para a nossa. Em qualquer momento haverá uma evolução, mas precisamos escoltar a privança com a criptomoeda também”, finaliza Tardelli.


Quer se manter atualizado em Marketing de uma forma completa?


Conheça a Rota 360º para o Profissional de Marketing Moderno, um programa de 12 meses que visa desenvolver o siso crítico do profissional de Marketing, apresentando dados e análises das melhores fontes do mercado.


Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui