Famosos lamentam marca de 500 milénio mortos por coronavírus | Celebridades

0
35
Links Patrocinados

Fernanda Gentil, Luciano Huck, Fafá de Belém e Marcelo D2Reprodução

Por O Dia

Muro de 15 meses posteriormente início da pandemia do novo coronavírus, o Brasil atingiu, neste sábado, a marca de 500 milénio mortes por covid-19. Chegando a 500.022 óbitos e 17.822.659 casos confirmados. Alguns famosos usaram as redes sociais para lamentarem a marca triste e histórica.

Durante a transmissão do “Se Joga”, nesta tarde, Fernanda Gentil lamentou o número e lembrou o colega Paulo Gustavo, morto no início de maio, em decorrência a complicações causadas pelo coronavírus. “Estamos ao vivo nessa missão de fazer você se distrair e tentar olvidar o que vivemos lá fora. E não olvidar esse número que chegamos hoje, mais de 500 milénio mortes por covid no Brasil. A pandemia não acabou. Todos os cuidados continuam sendo muito necessário”, disse a apresentadora.

“Uma vez que diz nosso saudoso Paulo Gustavo, entreter, rir e também distrair, regozijar, é sim um ato de resistência”, enfatizou. 

Já Luciano Huck usou o Twitter para falar sobre o objecto. Triste demais: 500 milénio vítimas da Covid-19. São vidas, histórias e sonhos interrompidos. Famílias arruinadas. Amores sabotados. Em século anos, é a maior tragédia sanitária, social, educacional e política do país. Dava pra ser dissemelhante. O negacionismo mata”, escreveu.

Na mesma rede social, Fafá de Belém chamou o número de “marca nefasta”. “Hoje batemos a marca NEFASTA de 500 milénio mortes por Covid-19 no Brasil. Uma doença para a qual JÁ EXISTE vacina, mas ela não chegou para todos porque o governo escolheu o negacionismo e rejeitou DEZENAS de ofertas. Quantos mais perderemos? Basta!!”.

 “500 milénio mortes, não é descaso é um projeto de espalhar o vírus pelo país e suscitar o caos….temos que parar esse governo genocida senão vamos flectir essa marca”, escreveu Marcelo D2.

Armando Babaioff também se manifestou: “Eles deixaram a COVID se espalhar. Eles mentiram sobre a doença, negaram a vacina, abandonaram a saúde e a economia do país. Eles precisam remunerar por isso. Eles deixaram meio milhão de pessoas morrerem”.

“Negacionismo + Prevaricação + Psicopatia + Incompetência + Arrogância = GENOCÍDIO. Meio MILHÃO de mortos por COVID no Brasil”, escreveu Rachel Sheherazade.

Neste sábado, diversas cidades no Brasil amanheceram com manifestantes, que foram para as ruas para reclamar contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em resguardo da vacinação e das medidas restritivas contra a covid-19. Chico Buarque e Samantha Schmütz foram alguns dos famosos que fizeram questão de comparecer às manifestações.
Chico foi ao meio do Rio. O cantor, de 77 anos, tomou a segunda ração da vacina contra a covid-19 em abril. Samantha, que já havia participado do primeiro ato, no dia 29 de maio, também compareceu ao segundo. No Instagram, a atriz publicou uma foto ao lado do ator Paulo Betti. “Artista de verdade luta”, escreveu Samantha na legenda.

 

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui