Escritórios híbridos: tendência no novo normal | SEGS

0
26
Links Patrocinados

Com a volta aos escritórios, mesclando home office, porquê será o novo workplace na visão dos arquitetos?

O protótipo presencial e online tem se tornado uma verdade no trabalho. Se no início do isolamento social, grande secção das empresas adotou o home office, mais precisamente 46% delas segundo a Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19, feita pela Instauração Instituto de Governo (FIA), hoje, os especialistas reforçam a tendência da incorporação dos dois modelos. Mas o que muda em termos de envolvente, na visão dos arquitetos?

Para o arquiteto técnico em ambientes de trabalho de subida performance Paulo Junior, CEO no quadoo.br arquitetura corporativa, os escritórios híbridos vieram para permanecer e nesta perspectiva é importante um envolvente que cuide destes dois modelos. “Para iniciar, deve-se pensar muito nas características da empresa, porquê o perfil dos colaboradores e suas necessidades diárias. Por isso, a valia de um séquito profissional qualificado para facilitar a empresa a pensar neste protótipo híbrido. Essa visão global passa por iluminação, cenário, mobiliário, mas também por asilar e integrar os colaboradores que estarão em morada e no escritório – inclusive os clientes”.

Paulo lembra algumas das tendências atuais porquê espaços integrados, boa iluminação e distanciamento social. “Cada pormenor tem que ser levado em conta para satisfazer o objetivo daquela empresa”.

O arquiteto acredita ainda que a flexibilização dos escritórios vai ainda além do formato híbrido, mas também para o envolvente mais humanizado, com espaço dinâmico. Ele já percebe um aumento das salas de descompressão – sítio oferecido pelas empresas aos colaboradores para que eles se desconectem um pouco do trabalho aproveitando um momento de relaxamento. O objetivo principal é fazer com que voltem às suas atividades revigorados, com totalidade força e produtividade. Outrossim, esses espaços oferecem atividades interessantes ao colaborador, porquê jogos, sítio de leitura, por exemplo.

Outra tendência é a geração de espaços exclusivos para as reuniões virtuais. Entre os exemplos, ele cita uma estratégia feita pelo escritório durante a pandemia: o Phone Booth. “É principal que as empresas disponham de espaços onde seja provável realizar um trabalho que exija mais foco, uma videoconferência ou uma chamada por telefone com totalidade privacidade e conforto. Para isso, essas cabines são elementos que proporcionam esses benefícios além de ocupar pouco espaço”. O Phone Booth criado pela quadoo.br é higienizado através de um aparelho acoplado ao equipamento. “Assim, proporcionará segurança para todos os usuários da empresa”.

Paulo aponta ainda que a escolha dos acabamentos, porquê pisos e mobiliário, também está sendo revisado pelos escritórios, levando em consideração questões de limpeza e higiene.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui