Em MG, projeto de lei prevê parcela única de R$ 600 para

0
31
Links Patrocinados

Uma secção das famílias mineiras poderão narrar com ajuda por secção do Governo de Minas. Os deputados estaduais aprovaram um projeto de lei que garante R$ 600 uma vez que um auxílio emergencial a chefes de família que estejam em situação de extrema pobreza durante a pandemia do coronavírus. A proposta leva o nome de “Força Família”.

O mercê precisa, agora, ser autenticado pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO). Os deputados votaram sim à proposta em 30 de abril e o texto do Projeto de Lei 2442/2021 foi logo enviado ao governo para sanção. Dissemelhante do auxílio emergencial federalista, oriente mercê terá somente uma parcela, que, caso o governo aprove, precisa ser paga aos beneficiários antes de 1º de agosto.

:: BH sem miséria: pelo auxílio emergencial municipal :: 

Terão recta ao mercê pessoas que estejam registradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federalista (CadÚnico) uma vez que responsáveis por residência em Minas Gerais e que tenham renda mensal menor que R$ 89 por pessoa.

A lei traz também à população em extrema pobreza uma isenção totalidade do ICMS sobre produtos da cesta básica. Essa isenção teria validade até 90 dias posteriormente o término da vigência do estado de calamidade pública no estado.

:: A miséria e o vírus não esperam: auxílio emergencial e vacina já! :: 

Minas Gerais possui muro de 1 milhão de famílias em situação de extrema pobreza, segundo informações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social. O mercê será talhado não a todas as pessoas, mas aos chefes de família assim cadastrados no CadÚnico.

:: Receba notícias de Minas Gerais no seu Whatsapp. Clique cá ::

Alcance restringido

O Auxílio Emergencial federalista, em 2020, autenticado pelo Congresso Vernáculo a partir de pressões da oposição e das organizações populares, alcançou 32% do povo brasílio, 67,7 milhões de pessoas, praticamente um terço da população. Tendo sido no totalidade 9 parcelas, sendo cinco de R$ 600, entre abril e agosto, e quatro de R$ 300.

Já o Força Família, terá parcela única de R$ 600, que alcançará muro de 1 milhão de pessoas, menos de 5% da população mineira.

O auxílio é secção do projeto Recomeça Minas, de autoria de todos os deputados estaduais. A lei também estabelece facilitações para setores econômicos atingidos pela pandemia. Visa, assim, facilitar a regularização de dívidas tributárias, por meio da redução de multas e juros para pagamento à vista ou parcelado.

:: Com auxílio emergencial reduzido, 61,1 milhões de brasileiros voltam para a pobreza :: 

Pretende ainda reduzir a trouxa do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e prorrogar prazos desse imposto. Os descontos do ICMS são destinados a vários setores, que vão desde a indústria de metais ao ramo de turismo. O texto final e completo do Projeto de Lei traz todas as propostas de descontos, acesse cá.

Nascente: BdF Minas Gerais

Edição: Elis Almeida

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui