Economista mais influente do Brasil diz que criptomoedas vieram para permanecer

0
81
Links Patrocinados

Ricardo Amorim, o economista mais influente do Brasil de entendimento com a Forbes, maior influenciador brasílio do LinkedIn e ganhador do Prêmio iBest de Economia e Negócios, publicou um item contando o que aprendeu ao deliberar não investir em Bitcoin em 2010.

De entendimento com o texto, se tivesse investido somente R$ 100 em Bitcoin quando conheceu a moeda do dedo, hoje ele teria murado de R$ 170 milhões. Amorim explica que o temor de que a moeda do dedo não fosse para frente e o indumentária de não saber uma vez que comprar e velar na estação o fez deliberar por não investir na criptomoeda.

“Em 2010, até pensei em comprar alguma coisa em Bitcoins. No entanto, o temor de que ninguém quisesse aquilo no horizonte ou de que alguém sumisse com os meus ativos, somado ao indumentária de eu não saber exatamente uma vez que comprar e velar meus Bitcoins, me fizeram não comprar.”

No ano em que conheceu o ativo do dedo, o Bitcoin era negociado por somente um centavo de dólar. Hoje, cada moeda é negociada na filete de US $ 60 milénio dólares. Um investimento de somente R$ 100 em Bitcoin, portanto, valeria mais de 175 milhões de reais na cotação atual.

“Naquele momento (2010), 1 Bitcoin custava US$0,01 ou R$ 0,017. Atualmente, custa murado de R$300 milénio. R$100 investidos naquela estação valeriam aproximadamente R$175 milhões. Se eu tivesse investido -o que não fiz – e mantido o investimento até hoje…”

Economista mais influente do Brasil

Ricardo Amorim é o único brasílio na lista dos mais importantes palestrantes mundiais do Speaker’s Corner. Ele também é uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil, eleito pela revista Forbes.

Foi apresentador do programa “Manhattan Connection” da Globonews e é o Influenciador latino-americano mais seguido no LinkedIn e Top Voice Influencer em 2016, 2018, 2019 e 2020.

Ganhador do Prêmio Os + Admirados da Prelo de Economia, Negócios e Finanças em 2017, 2018, 2019 e 2020, um dos melhores podcasts de 2019 e podcast número 1 de empreendedorismo da Apple Podcasts e ganhador do Prêmio iBest de Melhor do Brasil em Economia e Negócios.

Lições aprendidas

A decisão de não comprar Bitcoin, além de trazer compunção, também trouxe lições importantes, segundo conta.

De entendimento com o texto, Amorim agora diz que investir em Bitcoin teria sido uma escolha com muito mais chances de dar claro do que de dar incorrecto.

“Dessa oportunidade que perdi e de todo o quantia que eu poderia ter ganhado e não ganhei, tirei cinco lições importantes:

  1. Deveria ter feito um pequeno investimento em Bitcoin a longo prazo e o encarado uma vez que um bilhete de loteria melhorado, com muito pouco a perder e uma eventual possibilidade de lucrar muito;
  2. Os dias das criptomoedas, e particularmente do Bitcoin, uma vez que ticket de loteria estão no pretérito.
  3. Em investimentos de subida valorização, o investidor tem de estar pronto para correções cíclicas muito significativas de preço
  4. Em toda classe de ativos há bons e maus ativos. Com as criptomoedas não é dissemelhante. 
  5. Estou convicto de que as criptomoedas vieram para permanecer e compõem uma classe de ativos que precisa ser conhecida por qualquer um que tem um dinheirinho para investir.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui