Dólar fecha quase inabalável em seguida oferecido de ofício nos EUA | Finanças

0
19

Embora muito aquém do esperado, o payroll de setembro não teve força para colocar em queda os rendimentos dos treasuries, fazendo com que o dólar tivesse perdas somente limitadas contras os pares emergentes ou desenvolvidos. No Brasil, a moeda americana oscilou perto da segurança durante a maior secção do pregão em seguida a surpresa inicial com o oferecido do mercado de trabalho americano, e encerrou o dia praticamente inabalável.

No fechamento, o dólar foi negociado a R$ 5,5151, baixa de 0,02%. No mesmo horário, ele subia 0,22% contra o peso mexicano; 0,08% na presença de o rublo russo e 1,06% na confrontação com a lira turca.

Segundo o Departamento de Trabalho americano, o país gerou 194 milénio postos de trabalho em setembro, muito aquém dos 500 milénio esperados pelo mercado. O oferecido surpreende também em seguida leituras positivas do relatório de vagas do setor privado da ADP e dos pedidos iniciais de auxílio-desemprego terem leituras melhores que o esperado nos últimos dias.

Analistas do Wells Fargo chamam atenção para o veste de que, embora o número principal tenha desesperançado, a taxa de desemprego ainda assim caiu para 4,8%. “A queda da participação no mercado de trabalho é a principal desculpa. Isto é preocupante para as cadeias de produção, uma vez que falta de mão de obra é um grande problema para cadeias globais”, avaliam.

“Nascente oferecido provavelmente é suficiente para o FED iniciar o início do ‘taper’ em novembro. Jerome Powell pediu um payroll somente ‘decente’ em seus comentários em seguida a reunião do BC americano de setembro. Com a questão do teto fiscal do governo americano postergada por alguns meses, acreditamos que o envolvente seja suficiente para o FED seguir seu projecto”, continua o Wells Fargo.

Para José Faria Junior, diretor da WIA Investimentos, a incerteza deixada pelo payroll pode ser solucionada na quarta-feira, quando sai a inflação de setembro nos EUA. “Mercado deve esperar a quarta-feira, quando também sai a ata do Federalista Reserve. Dependendo do número pode ajudar o dólar a subir muito”, diz o profissional, para quem o patamar de R$ 5,50 se for preservado, abre espaço para uma subida rápida em direção aos R$ 5,70.

Separadamente, investidores locais também digerem o IPCA ligeiramente mais vagaroso que o esperado em setembro. O índice calculado pelo IBGE apontou aceleração de 1,16%, aquém da mediana das expectativas coletadas pelo Valor Data, que apontava para 1,25% na passagem do mês. O índice de divulgação também ficou menor: 65,0%, contra 71,% na passagem de agosto. O oferecido reforça a visão de que a inflação deve fazer pico em setembro.

Apesar da melhora, ainda restam riscos sobre a meta de 2022, diz o Goldman Sachs. “Pressões significantes sobre os custos, subida da inflação de serviços e riscos políticos e fiscais persistentes, muito porquê pressões secundárias e inerciais estão contaminando a perspectiva para 2022 e devem manter o Banco Medial levando a Selic para supra do território contracionista”, diz o relatório assinado pelo economista Alberto Ramos. “Neste cenário, a verosimilhança do BC de trazer a inflação de volta à meta de 3,50% em 2022 é baixa.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui