CSU registra maior lucro líquido da história em um 1º trimestre

0
36
Links Patrocinados

A CSU (B3:CARD3), líder no mercado brasílio em soluções tecnológicas para meios de pagamento, customer experience e fidelização e incentivo de clientes, divulga os resultados do 1º trimestre de 2021, com incremento nos principais indicadores: receita líquida de R$ 123,6 milhões, EBITDA recorde de R$ 35,8 milhões e lucro líquido de R$ 12,8 milhões, maior valor da história em um 1º trimestre. Tais cifras são superiores em 8,4%, 17,7% e 37,5%, respectivamente, sobre o mesmo trimestre do ano anterior.

Ricardo Leite, Diretor de Relações com Investidores, detalha que “a procura dos clientes pela digitalização foi importante para construção do ciclo crescente de resultados iniciado há 2 anos, com possante expansão de lucratividade nas duas unidades de negócio, beneficiada pela procura de soluções de ponta”.

Sobre os destaques por unidade, na CSU.CardSystem, que dispõe de soluções tecnológicas de última geração para meios de pagamento, teve eficiência na entrega de produtos digitais com incremento de 15,1% no EBITDA em relação a igual período do ano anterior, atingindo recorde de R$ 28,2 milhões com margem EBITDA de 47,4%. Já na CSU.Contact, que oferece soluções completas de customer experience, expandiu-se as operações para atender os consumidores finais dos clientes CSU, com expansão de 28,5% no EBITDA sobre o mesmo trimestre de 2020, alcançando R$ 7,6 milhões com margem EBITDA de 11,9%, totalizando um EBITDA recorde de R$ 35,8 milhões com margem EBITDA consolidada de 29,0%.

A CSU foi efetiva em importantes renovações contratuais com bancos regionais, na conquista de uma fintech de meios de pagamento uma vez que um novo emissor de cartões e na expansão das operações nos atuais clientes. Demais, o novo cliente da plataforma de adquirência e o marketplace emissor de cartões, citados em resultados anteriores, seguem em implantação com previsão de epílogo no 2º trimestre.

Além da evolução positiva nos resultados, a companhia apresentou avanços importantes, uma vez que na realização da estratégia de M&A com o aporte de R$ 10,0 milhões no FitBank em março, fintech fornecedora de soluções completas de infraestrutura para meios de pagamento, autorizada pelo Banco Médio uma vez que instituição de pagamento e que possui entre seus investidores o banco J.P. Morgan, e o licenciamento de longo prazo, em abril, do core banking da Technisys uma vez que segmento relevante da solução completa de Banking as a Service – BaaS da CSU, em implantação.

“Com a compra de participação acionária no FitBank, inauguramos a estratégia de compra de participações em negócios complementares no ecossistema de pagamentos brasílio, reforçando nossa atuação junto a instituições dos mais variados segmentos. Já a solução de BaaS nos permitirá ampliar significativamente a atuação no ciclo de pagamentos em contas digitais e diversos outros produtos financeiros, objetivando conquistar parcela importante de uma indústria que pode gerar tapume de R$ 8 bilhões em negócios a seus fornecedores nos próximos 5 anos”, ressalta Leite.

Por termo, o bom desempenho do trimestre possibilitou o anuncio da distribuição de R$ 2,8 milhões via juros sobre capital próprio aos investidores, reafirmando a entrega de parcela do lucro associada a evolução dos resultados. “Conseguimos facilitar empresas e seus clientes com soluções de ponta baseadas em inovação e cimalha nível de qualidade, focando em incremento e rentabilidade dos negócios, vislumbrando boas perspectivas em relação a leste ano”, finaliza o executivo.

(Redação – Investimentos e Notícias)

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui