Criticado por detença, governo lança campanha sobre capacidade de vacinar

0
12

Encurralado por críticas de adversários e até aliados pelo detença na implementação do seu projecto vernáculo para a vacinação contra a Covid-19, o governo Bolsonaro quer mostrar que tem capacidade, sim, para tocar uma campanha de imunização. Para isso, lançará, nesta quarta-feira (20/1), um vídeo publicitário tal qual objetivo é “reafirmar o compromisso do Ministério da Saúde de levar a vacina a todo o Brasil”.

A iniciativa acontece quatro dias depois a primeira ração da Coronavac ser aplicada no país, numa ação comandada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), arquiinimigo do presidente.

Embora a vacina contra a Covid-19, em próprio a Coronavac, exatamente a que o país está usando, tenha sido por vezes negada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que prefere recomendar o tratamento precoce com cloroquina – droga que não em eficiência comprovada cientificamente -, o filme promete mostrar os benefícios de se vacinar.

Com o concepção “Brasil imunizado. Somos uma só região”, o vídeo reúne pessoas representando cada uma das cinco regiões do país.

O texto do filme ressalta que “O Brasil é gigante” e que “o duelo de vacinar os brasileiros também e vai além da saúde, por se tratar de uma questão humana, social e econômica”. O filme traz imagens de uma médica com equipamentos de proteção segurando a mão de um paciente, de uma feirante durante o trabalho e de uma professora.

“A estratégia de notícia é reafirmar o compromisso do Ministério da Saúde de levar a vacina a todo o Brasil. No transcursão do filme, o texto salienta que a vacinação vai repor a crédito para que o senhor Isaías – o sertanejo da primeira cena – volte a fazer rodas de viola com os amigos; para que os médicos possam continuar salvando vidas; e para que os professores voltem às salas de lição”, diz nota divulgada pelo Ministério da Saúde.

O filme termina com cenas de pessoas com máscaras, lavando as mãos e usando álcool em gel, destacando um letreiro que reforça a urgência de proteção enquanto a vacina não chega a todos. A campanha conta, ainda, com mais dois filmes, um de 30 segundos e outro de 15 segundos, além de peças para rádio e mídia impressa.

Vacinação no país

A vacinação contra a Covid-19 começou no último domingo (17/1), em São Paulo. A enfermeira Mônica Calazans, 54 anos, foi a primeira pessoa a receber a ração cá no país. 

Outros estados brasileiros receberam o imunizante a partir dessa segunda-feira (19/1). De entendimento com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, uma “mudança na logística” resultou em atrasos na entrega das vacinas contra a Covid-19 aos estados.

O ministro ainda informou que a teoria inicial do governo era fazer a entrega das doses ao longo do dia. Dessa forma, a campanha de vacinação teria início no país somente nesta quarta.

No entanto, governadores pressionaram o ministro para antecipar “ao supremo” a distribuição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui