Covid-19: Mogi Guaçu prepara ‘força-tarefa’ para revistar restrição de circulação a partir desta terça | Campinas e Região

0
48

A Prefeitura de Mogi Guaçu (SP) mobilizou uma “força-tarefa” para revistar possíveis infrações à restrição de circulação estabelecida no município a partir de 0h01 desta terça-feira (2). A medida, definida uma vez que um “lockdown” pela gestão, tem uma vez que objetivo tentar reduzir os indicadores da Covid-19 na cidade. Veja, aquém, o que pode funcionar segundo o decreto.

Segundo a prefeitura, todo o efetivo da Vigilância Sanitária, da Guarda Municipal e da Polícia Militar estará em atuação a termo de prometer o cumprimento do decreto, sem interferir nas demais ocorrências do dia a dia. O número de profissionais trabalhando, todavia, não foi informado.

Apesar de não ter programação de barreiras sanitárias, a prefeitura realizará blitz em pontos específicos para monitorar possíveis movimentações. Outrossim, estão programadas operações especiais em “horários propícios ao descumprimento”, uma vez que à noite e aos finais de semana.

Em caso de fiscalização, o morador deve apresentar um documento de identidade e comprovação de que saiu de vivenda sob as circunstâncias previstas pelo decreto. No caso de pessoas que trabalham fora de Mogi Guaçu, é preciso apresentar um dos seguintes documentos: carteira de trabalho, holerite ou crachá da empresa.

Com hospitais lotados, a cidade havia decretado, na sexta-feira (26), a proibição de orifício das atividades econômicas, inclusive supermercados, que só poderiam funcionar com delivery. O município foi o primeiro a adotar estas regras em tempo integral na região de Campinas.

Na segunda-feira (1º), posteriormente filas em comércios e serviços e protestos de moradores contrários à medida, a prefeitura recuou e flexibilizou as regras da restrição. Agora, os supermercados têm aval para atendimento presencial, desde que cumpridas uma série de exigências. Outrossim, haverá funcionamento restringido do delivery por restaurantes e lanchonetes.

A gestão também decidiu, posteriormente reunião entre representantes dela e do Departamento Regional de Saúde de São João da Boa Vista (DRS XIV), autorizar orifício de bancos e agências dos Correios.

Posteriormente recuo, supermercados tiveram atendimento presencial liberado — Foto: Reprodução/EPTV

  • Supermercados, mercados, açougues, padarias e hortifrútis podem funcionar das 6h às 19h, com limite de público em 40% e liberação de uma pessoa por família. Menores de 12 anos não podem entrar nos estabelecimentos, enquanto pessoas com deficiência têm recta a um acompanhante;
  • Restaurantes, lanchonetes e pizzarias podem trabalhar com entrega a residência duas vezes ao dia: no período de almoço, das 11h às 14h; e no de jantar, das 19h às 22h;
  • Funcionam normalmente: hospitais, postos de saúde, clínicas médicas de todas as especialidades (incluindo fisioterapia e odontologia), clínicas veterinárias, laboratórios, farmácias, agências bancárias, lotéricas, agências do INSS, agências dos correios, cartórios, postos de gasolina, atendimento domiciliar na extensão de saúde (incluindo cuidadores de idosos), atividade agrícola e de escoamento, de segurança privada e de transporte individual de passageiros (taxistas e motoristas de aplicativos).
  • Escritório do Poupatempo: até 30% da capacidade de atendimento.
  • Transporte público: até 30% da lotação máxima dos veículos.
  • Oficinas mecânicas: portas fechadas e atendimento restrito a emergências.
  • Indústrias: funcionamento permitido somente caso a paralisação implique em danos de maquinário, equipamentos ou insumos perecíveis.
  • Hotéis: limitados a 40% da ocupação máxima.
  • Escolas e atividades religiosas: somente com transmissão online, não presencial.
  • Funcionam somente com entrega a residência: agropecuárias e fornecimento de gás.

VÍDEOS: últimas notícias da região de Campinas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui