Concurso CGU 2022: ministro anuncia novo edital com 375 vagas

0
26
Links Patrocinados

A Controladoria-Universal da União vai furar um novo edital de concurso público (Concurso CGU) em 2022. A confirmação foi dada pelo ministro do órgão, Wagner Rosário. Segundo ele, estão confirmadas 375 vagas, distribuídas entre cargos de auditor e técnico.

A enunciação de Rosário foi dada em entrevista ao Direto ao Ponto, da Jovem Pan.

”Se Deus quiser, eu tive reunião essa semana com o ministro Paulo Guedes (ministro da Economia), nós vamos estar abrindo concurso ano que vem (2022) para 300 auditores e 75 técnicos”.

O concurso visa o provimento de novos servidores no ano de 2022. No entanto, caso seja autorizado, pode trespassar ainda em 2021. A CGU ainda depende de um aval do Ministério da Economia, que avalia e analisa todos os pedidos enviados.

O concurso CGU

De contrato com informações do ministro da CGU, as vagas do concurso serão oferecidas para técnicos e auditores, ou seja, os mesmos cargos que foram solicitados ao Governo Federalista nos últimos anos. Em 2020, a CGU informou que os cargos contemplados eram de níveis médio e superior.

Na quadra, os cargos solicitados foram Técnico federalista de finanças e controle e Auditor federalista de finanças e controle.

O incumbência de Auditor Federalista de Finanças e Controle requer Diploma ou certificado, devidamente registrado, de curso de Ensino Superior em qualquer extensão de formação, inclusive licenciatura plena, reconhecido pelo Ministério da Instrução (MEC).

O incumbência terá missão de realizar atividades de nível superior, de complicação e responsabilidade elevadas, compreendendo supervisão, coordenação, direção e realização de trabalhos especializados sobre gestão orçamentária, financeira e patrimonial, estudo contábil, auditoria contábil e de programas; assessoramento especializado em todos os níveis funcionais do Sistema de Controle Interno.

Ou por outra, deverá fazer a orientação e supervisão de auxiliares; estudo, pesquisa e perícia dos atos e fatos da gestão orçamentária, financeira e patrimonial; versão da legislação econômico-fiscal, financeira, de pessoal e trabalhista; supervisão, coordenação e realização dos trabalhos referentes à programação financeira anual e plurianual da União e de seguimento e avaliação dos recursos alcançados pelos gestores públicos; modernização e informatização da gestão financeira do Governo Federalista. Atuar no aprimoramento e fortalecimento das ações correicionais no Poder Executivo Federalista; seguir o curso dos processos administrativos disciplinares em órgãos ou entidades da Governo Pública Federalista; zelar pela integral fiscalização do patrimônio público; e proceder ao curso das representações e denúncias recebidas pela Controladoria-Universal da União, uma vez que objetivo de combater condutas e práticas referentes à lesão ou prenúncio de lesão ao patrimônio público.

Já o incumbência de Técnico de Finanças e Controle exige Certificado, devidamente registrado, de peroração de curso de ensino médio (idoso 2º proporção) ou de curso técnico equivalente, expedido por Instituição de Ensino reconhecida pelo Ministério da Instrução (MEC). O servidor tem missão de efetuar atividades de nível intermediário, de espeque técnico administrativo, relativas às competências regimentais da Coordenadoria-Universal da União.

O incumbência de técnico da AGU tem uma remuneração inicial de R$7.741,31, já com o auxílio-alimentação de R$458. Já o auditor conta com remuneração de R$19.655.06, com o auxílio-alimentação de R$458. Ou por outra, ainda poderão ser oferecidos outros benefícios. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Déficit da CGU é grande

Sem furar edital de concurso, a CGU conta com um cumeeira déficit de servidores em seu quadro pessoal. O quantitativo de cargos vagos aumenta a cada ano e já alcançou 3 milénio vacâncias.

Segundo dados da CGU, são 3.017 postos vagos, sendo 1.617 cargas vagas de técnico federalista de finanças e controle (TFFC) e 1.400 cargas vagas de auditor federalista de finanças e controle (AFFC).

Último Concurso

O último concurso CGU/MTFC aconteceu em 2008, quando contou com 400 vagas, sendo 220 destinadas a Crítico de Finanças e Controle e 180 para Técnico de Finanças e Controle.

O concurso, organizado pela ESAF, contou com oportunidades para os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além de Brasilia (DF).

Sobre a CGU

Criada em 28 de maio de 2003, com a publicação da Lei nº 10.683, a portanto CGU era o órgão encarregado de observar direta e imediatamente ao Presidente da República no desempenho de suas atribuições quanto aos assuntos relativos à resguardo do patrimônio público e ao incremento da transparência da gestão.

Tudo isso é feito no contexto do Poder Executivo, por meio das atividades de controle interno, auditoria pública, correição, prevenção e combate à depravação, e ouvidoria.

Em 2003, a lei de geração da CGU incorporou à estrutura do órgão as funções da portanto Corregedoria-Universal da União – instituída em 2001 pela Medida Provisória n° 2.143-31 – que tinha o propósito de combater, no contexto do Poder Executivo Federalista, a fraude e a depravação e promover a resguardo do patrimônio público.

O  Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle segue uma vez que órgão mediano do Sistema de Controle Interno e do Sistema de Correição, ambos do Poder Executivo Federalista e mantém todas as atividades relativas à resguardo do patrimônio público e ao incremento da transparência da gestão, por meio das atividades de controle interno, auditoria pública, correição, prevenção e combate à depravação, e ouvidoria.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui