Cleo fala sobre BBB e pressão estética: “Cobrança tóxica e violenta” – Revista Marie Claire

0
18

Cleo em live com Marie Claire (Foto: Reprodução)

Cleo é um dos rostos mais conhecidos da televisão brasileira. A atriz começou a atuar na puerícia, estreando em “ Memorial de Maria Moura”, minissérie de 1994. Apesar de ser filha de Glória Pires e Fábio Junior, Cleo construiu a sua própria curso com autenticidade, seja uma vez que atriz ou, mais recentemente, cantora.

Nos últimos anos, a atriz também se destacou ao falar sobre assuntos importantes e dar voz a pautas femininas essenciais, entre elas a forma uma vez que os padrões de venustidade impostos pela sociedade afetam a nossa saúde física e mental. Nas redes sociais, ela comentou diversas vezes sobre compulsão cevar. “Eu sinto todo dia a responsabilidade de ocupar o lugar que eu ocupo, mas existe uma cobrança excessiva que acaba se tornando tóxica e violenta para a saúde mental”, desabafa a artista na live próprio de 30 anos da Marie Claire, com a editora-executiva Roberta Mamparra.

“Eu não sofri gordofobia, mas sim pressão estética, e é muito importante diferenciar essas duas coisas. Não estava gorda, só fora do que as pessoas estavam acostumadas ou esperavam, e elas questionavam. Quando se fala sobre qualquer tipo de preconceito, isso envolve também a falta de empatia das pessoas que praticam. Não existe contexto, eles só querem falar da sua vida e de você”, diz.

De olho no BBB

Fã declarada de Big Brother Brasil, Cleo está experimentando uma novidade sensação: ser mana de alguém dentro do reality e fazer campanhas para que Fiuk permaneça na lar.  “Eu, uma vez que mana, sabendo quem ele é e o objetivo que ele tem no programa, pra mim, ele já ganhou. Eu palato de BBB. Na última edição, quando eu conseguia seguir, fiquei vidrada no programa. A minha vida era falar disso no Instagram. E quando eu vejo o Fiuk superando alguma coisa, tenho mais vontade ainda de comentar”.

Apesar disso, a atriz evita falar sobre toda e qualquer situação que acontece no programa, muito uma vez que alguma coisa pessoal sobre Fiuk. “Tenho pânico de falar alguma coisa que recaia sobre ele. Comento, não me tiro da situação, mas penso muito sobre o que eu vou falar. Sei que ele não tá vendo tudo o que está rolando cá fora, mas quero que ele sinta que eu estou ali por ele de alguma forma”, diz.

Questionada se participaria de um reality uma vez que o Big Brother Brasil e qual jogaria seria, Cleo não pensa duas vezes: “Eu me identifico muito com o Gil. Acho ele sentimental e explosivo, e me sinto assim muitas vezes. Não tenho muito controle emocional, mas estou aprendendo. Não sei se eu seria uma boa jogadora confinada em uma lar com várias pessoas que eu não conheço”.

Sorte no paixão e no trabalho

Cleo se jogou de cabeça na curso música e, neste ano, a artista vai presentear os fãs com o seu primeiro álbum. “Eu só tenho singles, mas agora vou lançar um álbum, pela primeira vez. Estamos trabalhando remotamente nisso. Com esse pico da pandemia, está tudo muito incerto, mas a teoria é lançar ainda neste ano”, conta.

Uma vez que atriz, ela tem novos filmes para serem lançados, e falou sobre qual das profissões se sente mais confortável. “Consigo me dividir muito. É simples que, por trabalhar desde os 9 anos uma vez que atriz, navego nisso com mais conhecimento. Mas eu adoro desafios. Um dia com certeza vou me sentir tão confortável uma vez que cantora quanto me sinto uma vez que atriz”.

Já no paixão, Cleo está namorando Leandro D’lucca, um ex-affair que voltou para a vida da atriz. “Quando ficamos juntos antes, não éramos namorados de vestimenta. Sempre fomos muito amigos, e sempre nos gostamos. Portanto voltamos a nos falar e foi muito próprio. Teve uma sensação de tramontana”, relembra. A história completa, segundo a atriz, fica para outro momento.

Pandemia

Nas últimas semanas, acompanhamos a luta de Orlando Morais, marido de Glória Pires desde 1987, contra a COVID-19. Depois dias internado, o músico conseguiu vencer a doença, mas Cleo relata uma vez que os piores dias da sua vida. “Foi a morte. Você ver alguém que você nutriz e não imagina a vida sem, passando por uma situação muito grave, uma guerra intensa, e você não pode estar perto. Foi uma das coisas mais difíceis. Mas eu estou muito grata, e queria agradecer a equipe médica que fez de tudo e mais um pouco para ele”, disse.

Sobre a pandemia, Cleo comentou sobre os medos que o momento traz. “É muito angustiante. Quando eu vejo, já estou pensando em cenários, a minha cabeça vai muito longe. Mas acho que é assim pra todo mundo. Obviamente é pior para quem está passando por isso, porque vira uma angústia muito pessoal. Estou com pânico do que está acontecendo com o mundo. É um pânico inespecífico. Mesmo protegida, e tomando as meninas, dá pânico”, conclui.

Sem pânico de envelhecer

Com 38 anos, Cleo não tem pânico do tempo. A artista revelou uma vez que foi viver os 30, idade que todos consideram importante. “Eu não achei que fosse chegar nem aos 20. Sinto que vivi tantas vidas. Com 30 anos, eu estava no caos, mas um caos transformativo. Foi revelador”.
Para os 40, rela não tem expectativas. “A vida já me surpreendeu tanto. Desde muito cedo lidei com muitas questões. Sempre achei os 40 uma idade que remete a alguma coisa sexy. Eu palato. Isso não me assusta”, finaliza.

Cleo e Roberta Malta (Foto: Reprodução)

Cleo e Roberta Mamparra (Foto: Reprodução)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui