CAIXA já voltou a remunerar auxílio emergencial para ESTE grupo em 2021; veja quem recebe

0
12

A CAIXA já voltou a remunerar auxílio emergencial para ESTE grupo em 2021. O Ministério da Cidadania, pasta responsável pelos pagamentos, liberou um novo lote residual de pagamentos do favor para um totalidade de 22.233 pessoas. Ao todo, quatro grupos receberão o pagamento.

O novo calendário de pagamentos e saques do favor foi divulgado por meio da Portaria de nº 606, no Quotidiano Solene da União.

Entre os beneficiários, estão 12 milénio pessoas que aguardavam o pagamento e tiveram os pedidos reavaliados em janeiro deste ano. O pagamento será liberado para os nascidos de janeiro a dezembro em contas poupanças sociais digitais e poderá ser sacado em casas lotéricas e em agências da Caixa Econômica Federalista.

Ainda, 371 brasileiros que tiveram o favor reavaliados em janeiro receberão o pagamento do auxílio no valor R$ 300. Outros 9 milénio beneficiários que não receberam nenhuma parcela extra de R$ 300 poderão sacar todas de uma só vez, relacionadas às parcelas de seis até nove.

O pagamento também será liberado para 561 cidadãos que contestaram contra a negativa do governo sobre a liberação do favor residual, feita pela internet, entre 17 e 26 de dezembro de 2020.

Confira mais de 20 benefícios que você poderá receber depois o término do auxílio

O Governo Federalista ainda não confirmou o pagamento do auxílio emergencial para leste ano de 2021. Dessa forma, os desamparados poderão procurar outros meios para conseguir o sustento.

Vários programas sociais têm sido liberados pelo Governo Federalista com a finalidade de amenizar os impactos financeiros causados pela pandemia do novo coronavírus.

Uma das principais ferramentas que têm sido utilizadas para a implementação de programas assistenciais no país é o Cadastro Único, mais sabido uma vez que CadÚnico.

Através do Cadastro Único os estados e municípios têm chegada às informações dos cidadãos, sendo verosímil saber melhor a veras socioeconômica de cada região.

No cadastro, além da identificação de cada integrante da família, também são registradas informações sobre a residência, intensidade de escolaridade, situação de trabalho e renda, dentre outras informações.

Através do CadÚnico é verosímil selecionar os cidadãos que podem ser incluídos em pelo menos 22 programas sociais, são eles:

  • Aposentadoria para Pessoas de Baixa Renda
  • Tarifa Social de Pujança Elétrica
  • Favor de Prestação Continuada (BPC)
  • Programa Minha Morada Minha Vida
  • Carteira do Idoso
  • Bolsa Família
  • Telefone Popular
  • Isenção de Pagamento de Taxa de Letreiro em Concursos Públicos
  • Programas Cisterna
  • Chuva para Todos
  • Bolsa Virente (Programa de Escora à Conservação Ambiental)
  • Bolsa Estiagem
  • Fomento às Atividades Produtivas Rurais/ Assistência Técnica e Extensão Rústico
  • Programa Pátrio de Reforma Agrária
  • Programa Pátrio de Crédito Fundiário
  • Crédito Instalação
  • ENEM
  • Serviços Assistenciais
  • Programa Brasil Alfabetizado
  • Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti)
  • Identidade Jovem (ID Jovem)
  • Epístola Social

Oriente ano, os dados do Cadastro Único também foram utilizados para prometer o chegada ao auxílio emergencial, criado pelo governo uma vez que uma ajuda aos trabalhadores informais que tiveram sua renda comprometida em razão da pandemia do coronavírus.

Quem pode se cadastrar?

O requisito principal para efetivar o cadastro é a renda familiar. Os cidadãos que possuem a renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou três salários mínimos no totalidade para o sustento de todos os dependentes, podem se cadastrar no CadÚnico.

A pessoa deve procurar o Núcleo de Referência em Assistência Social (CRAS). Agentes do município, ligados às secretarias municipais de Ação Social também podem realizar a matrícula.

Para se cadastrar, o responsável maior de 16 anos deve apresentar os documentos pessoais dos integrantes da família uma vez que certificado de promanação, certificado de tálamo, CPF, carteira de identidade (RG), carteira de trabalho ou Título de Sufragista.

As famílias indígenas e quilombolas, também podem apresentar Certificado Administrativa de Promanação do Indígena (RANI) ou Carteira de Trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui