Bolsonaro compara seu governo ao de Lula e labareda petista de “ladrão de 9 dedos”

0
36
Links Patrocinados

Bolsonaro chamou ex-presidente Lula de “ladrão de 9 dedos” em exposição feito em Alagoas – Foto: Reprodução / TV Brasil

Nesta quinta-feira, 13, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se referiu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) porquê “ladrão de nove dedos” em exposição de cerimônia de entrega de casas populares em Alagoas. A enunciação aconteceu um dia posteriormente a pesquisa Datafolha mostrar que Lula vence Bolsonaro em um eventual segundo vez das eleições presidenciais em 2022.

“A Caixa com o ladrão de nove dedos dava prejuízo. Agora, em nosso governo, traz mais do que lucros, traz benefícios ao povo brasílio”, disse o Bolsonaro ao lado de Pedro Guimarães , presidente da Caixa. Além de Guimarães, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira , os ministros Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Gilson Machado (Turismo), João Roma (Cidadania) e o senador Fernando Collor acompanharam a visitante presidencial.

Segundo a pesquisa do Datafolha, Lula aparece com 41% das intenções de voto no primeiro vez, contra 23% de Bolsonaro. Em um eventual segundo vez entre o petista e o atual presidente, Lula abre vantagem, com uma margem de 55% a 32%.

Na terça-feira, 11, o presidente já tinha se referido a Lula de forma pejorativa ao pedir mais uma vez a aprovação da chamada ‘PEC do Voto Impresso’ no ‘cercadinho’ do Palácio da Alvorada.“O pessoal fala do ‘barbudo’, o ‘nove dedos’ , olha quem estava do lado dele. Olha o padrão dos meus ministros e o dos dele. Vai voltar aquela turma toda”, disse.

No exposição de hoje, Bolsonaro não citou o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL) nominalmente, mas afirmou que “se Jesus teve um traidor, temos um vagabundo inquirindo pessoas”, fazendo menção ao termo usado pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) ontem durante o testemunho do ex-secretário de notícia , Fábio Wajngarten , na CPI da Covid.

Posteriormente a asserção, apoiadores que estavam na cerimônia começaram a gritar em uníssono “Renan, vagabundo!”. Em resposta à ovação, o presidente afirmou que “ O recado que eu tenho para esse tipo é que: se quer fazer um show tentando me derrubar, não fará. Somente Deus me tira daquela cadeira”.

Bolsonaro ainda afirmou que seria “um violação o que está acontecendo nessa CPI”. Ou por outra, em sua fala, exaltou membros do governo que estavam presentes. “Arthur Lira está na Câmara pela perdão de Deus e tem sido fenomenal naquilo que o legislativo tem pedido”, disse Bolsonaro. Ele também afirmou que é “um prazer reduplicado estar ao lado de Collor”.

Links Patrocinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui